MEMORIAL 31 DE MARÇO DE 1964

MEMORIAL 31 DE MARÇO DE 1964
Avião voa sobre a orla carioca em 31/03/2014, ostentando faixa com os seguintes dizeres: "PARABÉNS MILITARES - 31/MARÇO/64 - GRAÇAS A VOCÊS O BRASIL NÃO É CUBA". Clique na imagem acima para acessar MEMORIAL 31 DE MARÇO DE 1964 - uma seleção de artigos sobre o tema.

quinta-feira, 8 de junho de 2017

Glock suspende plano de instalação de fábrica de pistolas no Brasil

Glock suspende plano de instalação de fábrica de pistolas no Brasil


Agência Brasil
RIO - O diretor-geral da divisão latino-americana da fábrica austríaca Glock (Glock America), Luiz Antonio Horta, informou que a empresa desistiu de implantar, por enquanto, uma indústria de pistolas em território brasileiro. Segundo ele, foram feitos três pedidos ao Exército, desde 2005. Todos eles teriam retornado com as mesmas exigências que não agradaram à multinacional. Segundo Horta, para autorizar a instalação, o Exército teria exigido que, no prazo de três anos, a fábrica brasileira da Glock produza todas suas pistolas com 100% de componentes fabricados no Brasil, pela própria empresa ou não. Nesses três anos, a Glock teria sua produção restrita a cinco mil unidades por ano. O diretor da Glock disse que a empresa fez três propostas alternativas ao comando militar e, em todas elas, o Exército respondeu fazendo a mesma exigência de 100% de nacionalização em três anos. 
- Com essa proposta, é muito difícil, praticamente impossível. A Glock produz três mil armas por dia. Querem que, nesses três anos, tenhamos a produção de cinco dias. Essa proposta do Exército mata a empresa e nos tira a vontade de investir no Brasil - afirmou Horta. 
De acordo com o executivo, a última proposta apresentada pela empresa austríaca previa uma instalação em seis etapas, que durariam seis anos. Na primeira, a Glock montaria 15 mil pistolas, todas com componentes austríacos. Nas segunda e terceira fases, 25% e 35% das armas, respectivamente, seriam fabricadas com material nacional. A quarta etapa já previa a fabricação de todas as pistolas com o chassi (corpo de arma) nacional, mas com outras peças estrangeiras. No quinto e sexto ano, já seriam incorporados o ferrolho e o cano brasileiros, tornando a arma 100% nacional, como o Exército deseja. Mas a proposta também foi recusada. 
- A gente pode até vir a fazer outra proposta, porque continuo com a mesma proposta e o meu objetivo é de que a fábrica seja no Brasil. O Brasil é um país viável, assim como a China, a Turquia e a Colômbia. É muito difícil que a gente volte a negociar. A menos que uma flexibilização (do Exército) seja espontânea - afirma Horta. 
Horta diz que o Brasil está recusando a oportunidade de sediar a única fábrica da Glock fora da Áustria, uma vez que as outras unidades fora da Europa são apenas linhas de montagem e não produzem as peças usadas nas pistolas. Segundo ele, a Glock produziu, no ano passado, 680 mil armas. O plano para o Brasil incluía fabricar 350 mil pistolas por ano. Em nota divulgada pela assessoria de imprensa, o Exército informou que estabeleceu as condições para essa instalação da Glock no Brasil, visando obter a plena nacionalização do produto, em prazo considerado adequado e, desde então, aguarda nova manifestação da empresa.
--------------------
Obs: Segundo bastidores toda a proposta da Glock era rebatida não importava a condição, o texto acima foi uma forma de terminarem as negociais sem maiores atritos! 
O Colog comete crime de favorecimento ao Monopólio Taurus / CBC, já comprovadamente criminoso com sua armas que disparam sozinhas e mataram dezenas de inocentes! Vendem munição ao estado superfaturada, isto é crime de lesa pátria, estes maus legisladores devem ser expulsos e presos!  
Este telhado de vidro que as FFAA vai contraindo e construindo ficará para história das FFAA e do nosso país que serve a muitos interesse estranhos e ignora as boas práticas comerciais praticadas  pelos nossos servidores! 
Lamentável se você analisar a fundo a CPI da Taurus e tomar conhecimento de tantas mortes de policiais e civis mortos e aleijados pelos disparos acidentais das armas da Taurus defeituosas! Sem falar do preço superfaturado das munições de 2ª categoria que tem seu preço em média 5 vezes mais caros que se importamos a melhor munição do mundo!
Só podemos concluir que o EB é o Colog tem sangue de inocentes em suas mãos! 
Poderíamos levantar a tese jurídica que o EB / COLOG financia e proteje o monopólio da Taurus, CBC. 
Em síntese o EB / COLOG minúcia o carregador, coloca o carregador na Pistola defeituosa e entrega a sociedade para serem feridas e mortas!
 Só faltou o COLOG puxar o gatilho que mata e fere gravemente nossos policiais e cidadãos!
Eles ainda responderão por tal ação criminosamente combinada com a fabricante CBC / TAURUS!  
 O Monopólio que controla o COLOG.
São tantos anos de monopólio que posso imaginar a quantidade de dossiês produzidos nestes anos todos! 
Vamos limpar o país é não é escondendo os absurdos dos maus servidores que sujam o nosso país! 
 Vamos lutar por um país mais ético e menos corrupto, temos que denunciar e cuidar do nosso querido EB. 
Neste quesito o EB está longe dos anseios do povo brasileiro! 
Att: Paulo Andrade
Enviado do meu iPhone