MEMORIAL 31 DE MARÇO DE 1964

MEMORIAL 31 DE MARÇO DE 1964
Avião voa sobre a orla carioca em 31/03/2014, ostentando faixa com os seguintes dizeres: "PARABÉNS MILITARES - 31/MARÇO/64 - GRAÇAS A VOCÊS O BRASIL NÃO É CUBA". Clique na imagem acima para acessar MEMORIAL 31 DE MARÇO DE 1964 - uma seleção de artigos sobre o tema.

segunda-feira, 20 de março de 2017

A imoral e desumana Previdência Social do Brasil: trabalhadores de 1ª e de 2ª classes.



A imoral e desumana Previdência Social do Brasil

por Ricardo Bergamini - Economista

Prezado Senhores

Tendo saído os números definitivos da previdência social do ano de 2016 estou republicando o referido artigo com as informações definitivas sobre o tema.

É uma aberração econômica, paga pelos pobres e miseráveis deste país: os desempregados e os empregados informais sem carteira de trabalho assinada, contingente composto de quase a metade da população economicamente ativa. Esses grupos de excluídos estão pagando para uma festa da qual jamais serão convidados a participar.

Vejam a aberração existente entre o déficit per capita do RGPS de R$ 1.488,07 com 100,6 milhões de participantes e do RPPS de R$ 15.717,17 com 9,9 milhões de participantes. Uma imoralidade.

Fico pasmo com a falta de indignação ampla, geral e irrestrita onde os estados gastam R$ 35,8 milhões por ano com pensões de ex-governadores e viúvas.  Em SC dois vice-governadores Leonel Pavan e Eduardo Pinho Moreira ficaram apenas seis meses no governo para que os governadores se candidatassem à reeleição e ganham R$ 33,0 mil, cada um. Ratificando: governaram apenas por seis meses.

Tudo bem? Vamos continuar tirando esmolas dos pobres e miseráveis para manter esses malditos direitos adquiridos. Não poderia haver uma taxação para esses canalhas e vagabundos na reforma da previdência? 

Somente os sábios enxergam o óbvio (Nelson Rodrigues)


A imoral e desumana Previdência Social do Brasil

Ricardo Bergamini

- Em 2016 o Regime Geral de Previdência Social (INSS) destinado aos trabalhadores de segunda classe (empresas privadas) com 100,6 milhões de participantes (70,1 milhões de contribuintes e 30,5 milhões de beneficiários) gerou um déficit previdenciário da ordem de R$ 149,7 bilhões (déficit per capita por participante de R$ 1.488,07).

- Em 2016 o Regime Próprio da Previdência Social destinado aos trabalhadores de primeira classe (servidores públicos) – União, 26 estados, DF e 2087 municípios mais ricos, com apenas 9,9 milhões de participantes (6,3 milhões de contribuintes e 3,6 milhões de beneficiários) gerou um déficit previdenciário da ordem de R$ 155,6 bilhões (déficit per capita por participante de R$ 15.717,17).

- Resumo do resultado previdenciário de 2016 do RPPS (servidores públicos): União (civis e militares) déficit previdenciário de R$ 77,1 bilhões; governos estaduais déficit previdenciário de R$ 89,6 bilhões e governos municipais superávit previdenciário de R$ 11,1 bilhões. Totalizando déficit previdenciário do RPPS da ordem de R$ 155,6 bilhões.

- Em 2016 a previdência social brasileira total (RGPS E RPPS) gerou um déficit previdenciário total de R$ 305,3 bilhões, cobertos com as fontes de financiamentos (COFI NS e CSSL, dentre outras pequenas fontes) que são uma das maiores aberrações e excrescências econômicas e desumanas já conhecidas, visto que essas contribuições atingem todos os brasileiros de forma generalizada, mesmos os que não fazem parte do grupo coberto pela previdência, tais como: os desempregados e os empregados informais sem carteira de trabalho assinada, contingente composto de quase a metade da população economicamente ativa. Esses grupos de excluídos estão pagando para uma festa da qual jamais serão convidados a participar.

- Cabe lembrar que no ano de 2016 houve uma renúncia previdenciária da ordem de R$ 43,4 bilhões com exportações, simples nacional e com entidades filantrópicas, dentre outras de menor significância.

Arquivos oficias do governo estão disponíveis aos leitores.
Ricardo Bergamini

(48) 99636-7322
(48) 99976-6974
Membro do Grupo Pensar+ www.pontocritico.com