MEMORIAL 31 DE MARÇO DE 1964

MEMORIAL 31 DE MARÇO DE 1964
Avião voa sobre a orla carioca em 31/03/2014, ostentando faixa com os seguintes dizeres: "PARABÉNS MILITARES - 31/MARÇO/64 - GRAÇAS A VOCÊS O BRASIL NÃO É CUBA". Clique na imagem acima para acessar MEMORIAL 31 DE MARÇO DE 1964 - uma seleção de artigos sobre o tema.

quinta-feira, 18 de fevereiro de 2016

QUEM É ANCELMO GOIS, JORNALISTA DO JORNAL "O GLOBO"

Aos meus amigos
Vocês já sabiam destas “qualidades” do Ancelmo Gois?
O homem é um “trainee” da KGB….
Devia ter sua carteira de jornalista cassada.
Abcs
Dominguez
QUEM É ANCELMO GOIS,
JORNALISTA DO JORNAL "O GLOBO"

Os estranhos aspectos do currículo de Ancelmo Gois que muitos ignoram e, em consequência, não conseguem entender porque sua coluna é tão fértil em “notinhas” maldosas ou inverídicas sobre as FFAA, em particular sobre o EB.
O texto resume entrevista de Ancelmo Gois e um estranhíssimo caso de ABDUÇÃO envolvendo a KGB.
É sempre bom conhecer as motivações reais e ocultas daqueles que atuam no jornalismo. Desse eu sabia de concreto, que morara em Leningrado (hoje São Petersburgo) durante a década de 1970. Quando os auto-exilados, deixaram o país foram majoritariamente para Paris, Roma, Londres, Chile,Suécia, Argélia.Masdentre que escolheram se refugiar na URSSestavam Luiz Carlos Prestes, Milton Temer e esse Ancelmo Gois.Somente quem nãosabe que Ancelmofoi para Russia não sabe que ele voltou para o Brasil como agente da KGB munido deidentidade falsa .
Uma vez agente da KGB, sempre agente da KGB.
A par destes dados biográficos, qualquer pessoa de bom sendo passa a entender as várias notas de sua coluna e assim pode avaliar melhor a credibilidade do que escreve. Sugere-se divulgação.
Como sempre, o Prof. Azambuja pôs o dedo na ferida. Parabéns. Quanto a Ancelmo Góis, é bom lembrar que ele confessou ter sido recrutado pela KGB (Polícia Política da extinta União das Repúblicas Socialistas Soviéticas) nos anos 70, conforme consta nessa entrevista que ele concedeu ao Jornal da Associação Brasileira de Imprensa:
“Eu vivi por algum tempo com o nome falso de Ivan Nogueira. Porque estávamos na ditadura militar e a gente só conseguia ir para a Rússia, protegido pela KGB. Foi este órgão que me deu uma identidade falsa, com retrato, e me transformou numa outra pessoa. Em seguida, eu fui para uma escola comunista para jovens, a Escola de Formação de Jovens Quadros, Konsomol, do Partido
Comunista da União Soviética, onde eu estudei sobre o marxismo e o leninismo (Fonte: Jornal da ABI, n° 343, julho/2009, pp. 20-25).

Veja também:
Observação feita por Stefan Carrão Pinto, na publicação sobre Ancelmo Gois em http://www.usinadeletras.com.br/exibelotexto.php?cod=29518&cat=Cartas:


Stefan Carrão Pinto  - 23/09/2014

"A edição 343 do jornal da ABI não está mais disponível no site. Simplesmente pula da edição 342 para a 344."