MEMORIAL 31 DE MARÇO DE 1964

MEMORIAL 31 DE MARÇO DE 1964
Avião voa sobre a orla carioca em 31/03/2014, ostentando faixa com os seguintes dizeres: "PARABÉNS MILITARES - 31/MARÇO/64 - GRAÇAS A VOCÊS O BRASIL NÃO É CUBA". Clique na imagem acima para acessar MEMORIAL 31 DE MARÇO DE 1964 - uma seleção de artigos sobre o tema.

terça-feira, 13 de outubro de 2015

O Antagonista - resenha

A Lava Jato é infinita
A Suíça congelou mais de cem contas ligadas à Lava Jato. Os nomes de seus titulares, porém, ainda não são conhecidos.
Segundo Jamil Chade, do Estadão, "o volume de dinheiro movimentado pode chegar a 1 bilhão de reais".
No mês que vem, Rodrigo Janot deve ir a Berna para acertar novos acordos de colaboração com as autoridades locais. Pessoas próximas à investigação disseram à reportagem que o envio de dados ao Brasil continuará em 2016.
A Lava Jato é infinita.

Só para registro
O advogado Cristiano Martins, que defende Lulinha e nos enviou uma nota para repudiar o conteúdo da delação de Fernando Baiano, é sócio e genro de Roberto Teixeira, o compadre de Lula.
Só para registrar.

Ladrão é ladrão
A França bombardeou um dos territórios ocupados pelo Estado Islâmico na Síria. Seis jihadistas de nacionalidade francesa foram mortos. Indagado a respeito, o primeiro-ministro Manuel Valls respondeu: "Terroristas não têm passaporte".
O Antagonista acha o mesmo: ladrão não tem partido. Ladrão é ladrão. Todos têm de ser presos.

Revogue-se o Estado de Direito
Dilma Rousseff montou uma equipe para tentar barrar o impeachment. O Estadão relata que, além dos ministros de sempre, foram escalados para defender o indefensável Flávio Caetano, advogado da campanha de Dilma (pois é), Celso Antonio Bandeira de Mello, Dalmo Dallari e Fabio Konder Comparato.
De acordo com o Estadão:
"Os juristas prepararam pareceres para dar sustentação à defesa de Dilma. Documento assinado por Bandeira de Mello e Fabio Konder Comparato diz que a reprovação das contas do governo pelo TCU não representa crime de responsabilidade e, portanto, é insuficiente para embasar a abertura de um processo de impeachment no Congresso.
Na semana passada, diante da decisão do TSE de abrir uma ação de impugnação contra a chapa formada por Dilma e pelo vice Michel Temer, Dalmo Dallari também sustentou que o órgão não tem competência para cassar mandato de presidente da República."
Em resumo, os petistas estão convictos de que nenhuma instituição brasileira ou mesmo a Constituição têm legitimidade e poder para cassar o mandato de Dilma Rousseff. Revogue-se o Estado de Direito porque o país lhes pertence.

Não se faça de surdo, Ayres Britto
Na reportagem do Estadão que fala sobre a equipe que tentará evitar o impeachment de Dilma Rousseff, há a informação de que o ex-ministro do STF Ayres Britto foi sondado para participar.
Não faz muito tempo, Ayres Britto escreveu no próprio Estadão que, nas horas difíceis, a nação deveria ouvir a Constituição.
Esperemos que Ayres Britto não se faça de surdo.

Não é preciso um Fiat Elba
Gilmar Mendes foi primoroso em sua entrevista a Jorge Bastos Moreno, na Rede Brasil.
Ele falou sobre o julgamento do TCU e o impeachment:
"É um mecanismo que está no texto constitucional. Tem que se aceitar que não é necessário que se tenha um Fiat Elba, como sempre se fala, ou uma prova concreta de que o presidente cometeu peculato. O crime é de responsabilidade política, contra o orçamento, contra a probidade da administração".
Ele esclareceu também o que o TSE quer investigar:
"Temos que reconhecer que a corrupção se tornou um modo de governança, o que eu chamei cleptocracia".

O cadeeiro do povo brasileiro
A jornalista Vera Magalhães, da Veja.com, noticia que, perguntado se estava deprimido na prisão, José Dirceu respondeu:
“Vou ficar aqui uns sete ou oito meses. Se for condenado, passo mais uns cinco anos preso e depois vou para casa. Tá tudo bem. Eu sou cadeieiro mesmo.”
José Dirceu é o cadeeiro do povo brasileiro.

Dirceu parou em 1968
José Dirceu disse que é um "cadeeiro" e que "tudo bem" se ele ficar mais cinco anos em cana. Com isso, sepulta um dos argumentos da sua defesa -- o de que o petista estaria velho demais para voltar à prisão e, coitado, deixaria de testemunhar o crescimento da sua filha pequena.
José Dirceu parou de envelhecer em 1968, o ano que nunca passou para ele.

Joaquim Barbosa: Dilma, Pepeu Gomes & Trio Manari
A propósito da equipe de advogados e juristas que Dilma Rousseff está montando para defendê-la do impeachment, O Antagonista sugere que ela contrate Joaquim Barbosa.
Estranhamente, o ex-ministro do STF acha que ainda não existem motivos suficientes para tirar a petista do Planalto, como noticiou Lauro Jardim.
Ele disse que "tem que se ter provas diretas, frontais, de ações tomadas pela própria presidente. O impeachment é um mecanismo brutal que não pode ser usado de qualquer maneira".
O Antagonista discorda política e musicalmente de Joaquim Barbosa. O ex-ministro é fã de Pepeu Gomes & Trio Manari.

Acate o pedido de impeachment, Cunha
Eduardo Cunha, depois do encontro deste sábado com Carlos Sampaio e Rodrigo Maia, parece disposto a acatar o pedido de impeachment de Dilma Rousseff.
Se isso se confirmar, será formada uma comissão especial, encarregada de emitir um parecer a ser enviado ao plenário. A comissão especial terá 66 deputados titulares e 66 suplentes.
Para cassar o mandato de Dilma Rousseff, 342 deputados terão de dar um voto favorável ao parecer da comissão especial.
Acate o pedido de impeachment, Eduardo Cunha. O Brasil precisa urgentemente de um voto.

Adams é Dilma amanhã
Sobre os problemas na Advocacia-Geral da União, com servidores em rebelião por aumento de salário e muita gente descontente com a atuação partidária de Luís Inácio Adams, a Veja.com noticia que "o próprio Adams já disse a amigos que pretende entregar o cargo em breve. O mais cotado para substituí-lo, atualmente, é Beto Vasconcelos, secretário Nacional de Justiça. A ideia do governo é aproveitar a insatisfação do ministro para dar uma nova cara à AGU."
No início do ano, Luís Inácio Adams queria ser ministro do Supremo e o governo estava a disposto a colocá-lo no tribunal, caso ele segurasse a onda no TCU. Como não segurou, inclusive porque a onda era muito maior do que a sua competência, embora menor do que a sua sabujice, Luís Inácio Adams está levando um pontapé no traseiro.
Luís Inácio Adams é Dilma Rousseff amanhã.

Nossa Senhora Aparecida assinaria embaixo
O Estadão noticia que, enquanto Geraldo Alckmin fez críticas tíbias a Dilma Rousseff em Aparecida, o bispo auxiliar da cidade, Darci José Nicioli, foi de uma franqueza divina:
"Fala-se que o Brasil está em crise e está mesmo. Crise política, crise econômica financeira. Certamente na base desta crise está uma grande crise moral, uma crise de valores”, criticou Nicioli. Para ele, o País “seria um paraíso” se seguisse o modelo de gestão do Santuário Nacional de Aparecida. Segundo ele, “as doações recebidas no Santuário são revertidas inteiramente para acolher bem”. E emendou que a riqueza do Brasil precisa ser melhor distribuída. “Não falta dinheiro, falta seriedade no uso do dinheiro”, completou."
Nossa Senhora Aparecida assinaria embaixo.

Berzoini convocou reunião
Lauro Jardim, do Globo, noticia que "Ricardo Berzoini convocou uma reunião com os líderes da base aliada. Assunto? A estratégia a ser seguida pela base para debelar a tentativa de abrir um processo de impeachment contra Dilma."
O Antagonista pergunta: ainda existe base aliada?

Paes quer que Ipanema invada Madureira
O prefeito carioca Eduardo Paes, informa O Globo, inaugurou, em Madureira, a "Praia de Rocha Miranda" -- na descrição do jornal, "uma lâmina d'água de dez centímetros de altura, uma faixa de areia e três pórticos que se transformam em cachoeiras artificiais".
Eduardo Paes, depois de sambar, disse o seguinte:
"Isso aqui é uma alegria. É um lugar muito especial. Entregar esse equipamento e dar essa qualidade ao povo da Zona Norte, do subúrbio é muito bom. A cidade está mais unida. A gente está aqui para dizer que essa história de cidade partida não tem mais. Acho que o desafio do Rio é permitir que a galera de Ipanema invada essa praia aqui e que o pessoal da Zona Norte invada a Praia de Ipanema, do bem. Isso aqui é um legado do Rio de Janeiro. A gente às vezes fica cheio de medo, cheio de preconceito, cheio de raiva, enquanto essa cidade é feita de muita gente boa, de muita gente trabalhadora, que merece muito carinho e atenção da gente."
O Antagonista acha que dificilmente a galera de Ipanema vai invadir a paradisíaca Praia de Rocha de Miranda, em Madureira. E que o verdadeiro desafio populista é recuperar o Piscinão de Ramos, construído em 2001. Poluído e cheio de lodo, o seu abandono já foi notícia internacional.

Adams será humilhado de novo
Luis Inácio Adams se prepara para defender Dilma Rousseff no Supremo, informa o Globo. A estratégia agora é dizer que a petista não teve responsabilidade "pessoal e direta" nas chamadas pedaladas fiscais e que, portanto, não teria violado a Lei de Responsabilidade Fiscal.
É um raciocínio tão elaborado que nem vale a piada.

Dilma procurou Barbosa
Joaquim Barbosa foi procurado por Jaques Wagner para um encontro com Dilma Rousseff. O ex-presidente do Supremo agradeceu, mas disse que não vai nem morto.
Uma coisa é ser contra o impeachment, outra é apoiar o desgoverno que está aí.

Impeachment: a oposição move mais uma peça
Enquanto Ricardo Berzoini convocou os governistas para mais uma reunião anti-impeachment, a oposição faz o mesmo para definir qual a melhor estratégia para conseguir a abertura do processo que levará à derrubada de Dilma.
Assim como o Palácio do Planalto já definiu que vai recorrer ao Supremo caso o processo avance, PSDB e aliados decidiram que o relatório do procurador Júlio Marcelo de Oliveira sobre as pedaladas de 2015 será apensado ao pedido de Hélio Bicudo, Miguel Reale Jr. e Janaina Paschoal.
Muita coisa ainda vai acontecer.

O ranço de Barbosa com o TCU
Ao dizer que não existem elementos objetivos para o impeachment de Dilma, Joaquim Barbosa ignorou solenemente o julgamento das contas pelo TCU. É que o ex-presidente do Supremo carrega um ranço em relação ao TCU desde o tempo do mensalão.
Um mês antes do início do julgamento, o TCU torceu a legislação e parecer técnico do MP, para livrar Henrique Pizzolatto de responsabilidade sobre a os desvios dos chamados "bônus de volume" embolsados pela DNA Propaganda, de Marcos Valério, nos contratos com o BB.
A bronca de Barbosa é pessoal.

Seria cômico se não fosse... Sarney
Delúbio Soares retuitou agorinha um post intitulado "Surgem os áudios da cela do Youssef". A informação plantada pelo deputado Aluísio Mendes Guimarães Filho é de que a perícia técnica da PF recuperou mais de cem horas de áudios feitos ilegalmente na cela de Alberto Youssef.
Aluísio Mendes Guimarães Filho entende tudo de grampo. No ano passado, o UOL fez um perfil do sujeito que agora parece querer melar a Lava Jato. Confira os principais trechos:
"No epicentro da crise de violência no Maranhão, o secretário de Segurança Pública do Estado, Aluísio Guimarães Mendes Filho, resiste no cargo graças à proximidade com o senador José Sarney (PMDB-AP), chefe do poderoso clã e pai da governadora Roseana (também do PMDB). Ele foi segurança de Sarney, comandou a arapongagem no Maranhão e obteve emprego para a filha no Senado.
Ex-agente da Polícia Federal, Aluísio é ligado ao senador desde a década de 90. Em 2003, Sarney o escolheu para ser um dos oito funcionários de confiança remunerados com verba pública a que todo ex-presidente da República tem direito. Nomeou Aluísio para ser seu segurança pessoal. O ato foi publicado no Diário Oficial da União em 23 de abril de 2003.
Aluísio fez a segurança pessoal de Sarney até 3 de setembro de 2009, quando sua lealdade foi recompensada e acabou alçado ao cargo de subsecretário de Inteligência do Maranhão. O posto lhe deu o comando do sistema "Guardião" do Estado, capaz de grampear 300 celulares e 48 linhas fixas simultaneamente.
Os policiais e o Ministério Público Federal suspeitaram que Aluísio aproveitara seus contatos na PF para repassar informações sigilosas a Fernando Sarney, filho do senador, que estava sendo investigado por formação de quadrilha, lavagem de dinheiro e tráfico de influência. Por falta de provas, a Justiça determinou o arquivamento do inquérito contra Aluísio. Em abril de 2010, ele assumiu o posto máximo da Segurança Pública maranhense no governo Roseana.
Em janeiro de 2007, a filha do ex-agente da PF, Gabriela Aragão Guimarães Mendes, então estudante, ganhou um cargo de confiança no gabinete de Sarney no Senado. A nomeação foi assinada pelo ex-diretor-geral da Casa, Agaciel Maia, exonerado em 2009 após a imprensa divulgar que ele costumava nomear parentes de senadores para cargos por meio de atos secretos, não publicados no Diário Oficial.
Aluísio também foi chefe de gabinete da presidência do CJF (Conselho da Justiça Federal), órgão supervisor e corregedor das varas e tribunais da Justiça Federal no país, na gestão de Edson Vidigal – ex-assessor jurídico de Sarney na Presidência da República e nomeado por ele ministro do Superior Tribunal de Justiça, em 1988.

Save the Date
Vera Magalhães informa que Lula vai comemorar seus 70 anos no próximo dia 29. A "festança", que contará com a presença de políticos e empresários "ilustres", será no restaurante São Judas Tadeu, no bairro Demarchi, em São Bernardo do Campo.
Anotou aí, Sérgio Moro?

Baiano é Dirceu, Dirceu é Lula
Fernando Soares, o Baiano, é homem de José Dirceu. Em sua delação, ele contou detalhes da relação com o petista, responsável por aproximá-lo da família Lula da Silva.
Baiano contou ainda como operou na intermediação dos contratos de afretamento de navios e plataformas da Petrobras, entregou contas bancárias em Cingapura e Hong Kong, e ainda deu detalhes de reuniões com caciques do PT e do PMDB no Hotel Regina, em Paris.
Baiano tinha residência fixa em Paris e lá se reuniu com Kakay um mês antes de ser preso, em novembro de 2014. O encontro foi intermediado por Dirceu.

Outra "MP Caoa" na mira da PF
Além da Medida Provisória 471 de 2009, negociada pela Caoa no governo Lula, a montadora também teria negociado a edição pelo governo Dilma da MP 512, que estendeu até 2020 as isenções fiscais do setor nas regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste - uma extensão da primeira.
A PF também investiga a venda da MP 512, editada em 2011, quando Antonio Palocci era o ministro da Casa Civil.

Urnas inconclusivas
O Estadão informa que o departamento jurídico do PSDB concluiu auditoria sobre o resultado da eleição presidencial de 2014.
"O documento elaborado pelo departamento jurídico da sigla deve ser apresentado ao TSE nesta semana, provavelmente na quarta-feira, dizendo que o relatório das urnas não é conclusivo em relação a fraudes".
Diz ainda que "o sistema de voto eletrônico não permite a plena auditagem". O PSDB, porém, não vai contestar o resultado, pois não quer ser acusado de querer ganhar no tapetão.

Adiada a análise do impeachment
A reunião dos líderes de oposição terminou há pouco e Mendonça Filho (DEM) confirmou ao Antagonista que o relatório de Júlio Marcelo será apensado ao pedido de impeachment amanhã, o que deve adiar o cronograma de todo o processo em um dia pelo menos.
Eduardo Cunha terá mais tempo para pensar sobre o que fazer.

Batalha de Itararé
A coluna Painel, da Folha de S. Paulo, diz que Dilma Rousseff decidiu “partir para a guerra” contra Eduardo Cunha.
“Não há outra alternativa a não ser dizer, publicamente, que ‘quem tenta tirá-la do cargo é um político acusado de cometer atos ilícitos’ no esquema da Petrobras”.

Sun Tzu no Planalto
A arte da guerra não é o forte de Dilma Rousseff.
O exército inimigo não é composto apenas por Eduardo Cunha, e sim por nove entre dez brasileiros, que lutam por seu impeachment.
Do outro lado da barricada, a Folha de S. Paulo conta que Dilma Rousseff “escalou Miguel Rossetto para mobilizar os movimentos sociais”.
O general Rossetto e os mercenários da CUT e da UNE serão desbaratados na primeira batalha.

O triunfo das panelas
Ministros reconheceram à Folha de S. Paulo que há “chances reais de o impeachment ser deflagrado”.
Caso isso ocorra, Dilma Rousseff pretende anunciar a guerra em rede nacional de rádio e TV.
Ela não será derrotada por tanques, e sim por panelas.

Queimando cartuchos
Dilma Rousseff conta, neste momento, com a CUT, com a UNE e com seu talento oratório.
Embora diga que pode contar também com “cinco ministros no STF”, ela está em dúvida sobre esse ponto.
A Folha de S. Paulo informa que José Eduardo Cardozo foi chamado para “medir o pulso do tribunal e avaliar se há apoio contra o impeachment”.
Um ministro disse para o jornal:
“Já queimamos o cartucho do STF quando tentamos evitar o julgamento no TCU. E o STF nos derrotou”.

Tora! Tora! Tora!
A propósito de guerra, Lauro Jardim informa que os ministros de Dilma Rousseff definem Eduardo Cunha como um "kamikaze".
Um desses ministros, "que evidentemente prefere o anonimato a brigar de frente com Cunha", diz:
"Ele vai jogar na confusão".

Guerra e Paz
A Folha de S. Paulo é um resumo do Brasil.
Manchete:
“Governo ainda tenta acordo de última hora com Eduardo Cunha”.
Lead:
“Ministros defendem que Dilma adote o discurso de ‘nunca roubei’ e vá para cima do presidente da Câmara usando as acusações da Lava Jato para desqualificá-lo”.
Como é que é?
Dilma quer um acordo com Eduardo Cunha ou quer ir para cima dele? Se ele topar um acordo de última hora, ela topa que ele roube?
O único título minimamente sensato na primeira página do jornal é:
“Brasil em crise”.

A ética petista
Ao mesmo tempo em que promete ir para a guerra contra Eduardo Cunha, Dilma Rousseff promete também salvar seu mandato, caso ele desista do impeachment.
A proposta de rendição inclui o voto de sete deputados que integram o Conselho de Ética da Câmara e que, somados aos peemedebistas, impediriam sua cassação.
É mais um exemplo da ética petista: quem está do seu lado, pode fazer o que quiser.

"Preparem-se para o combate"
Ricardo Berzoini, o sargento Garcia da CUT, disse:
"Preparem-se para o combate".
Os deputados do PT responderam prontamente ao chamamento. Um deles declarou a O Globo:
"Vamos aguardar o que Eduardo Cunha vai fazer. Qualquer movimento dele vai ter uma reação. Se ele aceitar o impeachment, nós vamos para o combate".
Traduzindo: o PT "pedirá o afastamento dele da presidência da Câmara e a abertura do processo de cassação de seu mandato no Conselho de Ética da Casa".

Lobistas escreveram a MP assinada por Lula
O nosso Claudio Dantas, ontem à noite, publicou que há outra “MP CAOA” na mira da PF.
Hoje o Estadão, em reportagem dos ótimos Andreza Matais e Fábio Fabrini, conta que lobistas das montadoras de veículos “conseguiram alterar o texto original da Medida Provisória 471 antes de ela ser assinada” por Lula, como demonstram as mensagens apreendidas pelos investigadores da Zelotes.
Além disso, as empresas interessadas tiveram acesso à versão final do texto antes que ele fosse publicado no Diário Oficial e enviado ao Congresso, dias depois de ser assinado por Lula.
Numa das mensagens, o lobista José Ricardo da Silva diz ao empresário Mauro Marcondes Machado que, “por sua ‘intervenção’, o texto que sairia do Planalto contemplaria o que as montadoras haviam pleiteado”. Ele confirma ter alterado o conteúdo original da MP e diz que recebeu uma cópia dela na véspera da publicação.
O lobista avisa também que está enviando “anexos contendo o inteiro teor da MP”. Em seguida, descreve “o que de importante foi alterado” por ele no texto do governo.

De mal a pior
De semana em semana, os economistas consultados pela pesquisa Focus, do Banco Central, pioram suas estimativas para o PIB.
Eles agora esperam uma queda de 2,97% em 2015. E de 1,20% em 2016.

Flávio Caetano, coordenador de campanha pixulequenta
O Estadão noticiou que Flávio Caetano, um dos defensores do indefensável, a permanência de Dilma Rousseff no Planalto, diminuiu o trabalho do procurador Júlio Marcelo de Oliveira.
Leiam o que o jornal publicou:
"O coordenador jurídico da campanha à reeleição da presidente Dilma Rousseff, o advogado Flávio Caetano, classificou há pouco com 'leviandade" a eventual tentativa da oposição de se incluir em pedidos de impeachment apresentados na Câmara o parecer do procurador do Ministério Público junto ao Tribunal de Contas da União Júlio Marcelo de Oliveira que atestou ter havido a continuidade das chamadas pedaladas fiscais em 2015."
Leviano, para dizer o mínimo, é ser coordenador jurídico de uma campanha feita com dinheiro roubado. Campanha à base de pixulecos.

"O Brasil está à beira do precipício"
Nouriel Roubini, em entrevista à Folha de S. Paulo, publicada hoje, disse:
"O Brasil está à beira do precipício. Se o ajuste fiscal não for feito, o Brasil será rebaixado de novo, os spreads de empresas e do governo vão explodir, o real vai entrar em queda livre e a economia vai encolher ainda mais".
Ele disse também, a propósito das pedaladas fiscais de Dilma Rousseff:
"É consenso que as políticas macroeconômicas do Brasil nos últimos anos foram equivocadas. Houve afrouxamento fiscal excessivo. Além disso, o aumento na oferta de crédito, tanto pelo sistema financeiro, como pelas instituições públicas, foi excessivo, uma forma de estímulo fiscal.
No Brasil, o BC estava atrasado, mas passou a elevar agressivamente a taxa de juros. Houve uma oportunidade para fazer ajuste fiscal, mas não ocorreu, porque havia o período eleitoral. A mesma coisa ocorreu com preços administrados, cujo aumento foi adiado. Então depois das eleições sobrou esse ajuste fiscal muito maior para ser feito e o reajuste de tarifas gerou inflação. Perdeu-se a confiança na política fiscal".
Em janeiro deste ano, Nouriel Roubini ainda se dizia "cautelosamente otimista" em relação ao futuro econômico do país. Agora ele descobriu que não há margem para otimismo com Dilma Rousseff.

Ou é Gilmar Mendes, ou é marmelada
O TSE decidiu reunir todos os processos contra Dilma Rousseff e Michel Temer. É o que informa a Veja.
O nome do novo relator será anunciado nos próximos dias. Ou é Gilmar Mendes, ou é marmelada.

Teori Zavascki fatiou a Câmara
Dilma Rousseff disse que tem cinco ministros no STF.
Na verdade, para barrar o impeachment, ela só precisou de um: Teori Zavascki.
Depois de fatiar a Lava Jato, ele decidiu fatiar também a Câmara dos Deputados.

Impeachment: Teori concede liminar ao PT
Teori Zavascki concedeu liminar, a pedido do PT, que impede o rito estabelecido por Eduardo Cunha e partidos de oposição para a aprovar a tramitação do pedido de impeachment de Dilma Rousseff. O rito, baseado no regimento interno da Câmara, estabelecia que o deputado pediria arquivamento do pedido, a oposição entraria com recurso e a tramitação seria aprovada por maioria simples do plenário.
Agora, só se Eduardo Cunha não arquivar. Vamos lá, Cunha, dê início à tramitação de uma vez.

Acate, Cunha
Dilma Rousseff deu um tiro no pé quando entrou com recurso no STF contra o julgamento do TCU.
A liminar concedida por Teori Zavascki pode ser outro tiro no pé se Eduardo Cunha decidir acatar, nos próximos dias, o pedido de impeachment formulado por Hélio Bicudo e Miguel Reale Júnior.

Semana que vem
Eduardo Cunha adiou para a semana que vem a decisão sobre o pedido de impeachment formulado por Hélio Bicudo e Miguel Reale Júnior.
Os deputados da oposição, enquanto isso, vão acrescentar ao requerimento as novas denúncias do TCU sobre as pedaladas fiscais cometidas em 2015.
O deputado Paulo Pereira da Silva disse que Eduardo Cunha pode acatar diretamente o pedido:
"Uma coisa que Cunha está avaliando, agora, para deferir o pedido de impeachment, é que terá o apoio de 90% da população. Depois que ele deferir, isso vai explodir na sociedade e ninguém segura mais. Noventa por cento da população vão apoiá-lo".