MEMORIAL 31 DE MARÇO DE 1964

MEMORIAL 31 DE MARÇO DE 1964
Avião voa sobre a orla carioca em 31/03/2014, ostentando faixa com os seguintes dizeres: "PARABÉNS MILITARES - 31/MARÇO/64 - GRAÇAS A VOCÊS O BRASIL NÃO É CUBA". Clique na imagem acima para acessar MEMORIAL 31 DE MARÇO DE 1964 - uma seleção de artigos sobre o tema.

domingo, 4 de outubro de 2015

“Epa! Nós podemos confiar em um comunista?”

“Epa! Nós podemos confiar em um comunista?”

Caros amigos
Sem querer influir no pensamento ou nas apreensões dos que estão convencidos de que os comunistas são todos iguais e tão incorrigíveis quanto cachorros comedores de ovelhas, compartilho – com quem quiser saber – informações sobre o desempenho do Deputado Aldo Rebelo, do PC do B, em defesa dos interesses das FFAA no Congresso Nacional.
Antes de passar ao relato, expresso o MEU parecer de que Jaques “Jacú” Wagner, o simpático, comunicativo e dissimulado ministro substituído, é tão comunista quanto o substituto e que, portanto, neste aspecto, nada muda, nem para melhor nem para pior.
Por outro lado, face ao que conheço e ao que pude apreender do testemunho de oficiais que, por dever funcional, tiveram algum relacionamento ou que tiveram que buscar a ajuda do novo Ministro para assegurar os interesses das Forças junto ao Legislativo e ao Executivo, sou levado, por dever de justiça, a concordar com a afirmação de que “vamos ficar muitas vezes melhor servidos com Aldo Rebelo do que com Jaques Wagner”!
Começo compartilhando o que é unanimidade entre os Assessores Parlamentares com quem, algum dia, falei: “Aldo Rebelo, enquanto parlamentar, sempre foi um defensor dos interesses das Forças Armadas”.
Todos os oficiais designados para as Assessorias Parlamentares recebem severas e precisas orientações sobre a importância e a sensibilidade da tarefa de atuar junto aos parlamentares no Congresso.
Durante a preparação, os novos assessores conhecem a relação dos parlamentares considerados “Tropa Amiga”, ou seja, aqueles com quem podem contar para qualquer embate e que estão sempre prontos para defender as proposições do interesse das Forças.
“Epa! Nós podemos confiar em um comunista?”. É exclamação comum de surpresa dos novatos na função, quando encontram o nome de Aldo Rebelo na relação da “Tropa Amiga”. Todos, no entanto, ao conhecerem os vários relatos de casos complicados em que ele acolheu e defendeu os interesses militares, passam a entender a razão da confiança depositada em um comunista!
O caso da Reforma da Previdência, a conhecida PEC 40/2003, que tinha entre seus objetivos o de colocar os militares no INSS, é emblemático, explica a minha mensagem e merece ser conhecido por todos.
As Assessorias Parlamentares, ao tomarem conhecimento da PEC, como não poderia deixar de ser, adotaram, como prioridade máxima, a reversão do quadro da ameaça e, desde logo, contaram com o apoio, a parceria e a orientação de Aldo Rebelo, que, à época, era o Líder do Governo na Câmara dos Deputados!
Em mais de uma oportunidade, testemunhadas e relatadas pelos assessores parlamentares, Aldo Rebelo bateu de frente com a base governista em defesa dos militares e da Família Militar, baseando seus argumentos na importância das FFAA, na especificidade das suas atividades, no seu conhecimento pessoal sobre a vida militar e na orientação que recebia dos Comandos das Forças!
Segundo os relatos que ouvi, Rebelo foi várias vezes ao Gabinete do Comandante do Exército para articular as ações que, com a sua participação direta, acabaram por vencer um “inimigo” que contava com o apoio do então Ministro da Defesa, José Viegas Filho e, particularmente, com o do traiçoeiro José Dirceu, o homem de muitas caras e pouco caráter, na ocasião, Ministro da Casa Civil.
O resultado dessa luta beneficiou a todos nós e a consequência dela, para aqueles que a lutaram, foi a consolidação da confiança que depositam na pessoa do Deputado Aldo Rebelo, não no seu partido ou em suas convicções ideológicas.
Concluo este relato repetindo que não pretendo influir nas convicções de ninguém, mas, apenas, mostrar que, embora a troca de comunistas não represente vantagem ou desvantagem, a troca das pessoas e as diferenças de caráter podem significar que, como dizem os que o conhecem, “vamos ficar muitas vezes melhor servidos com Aldo Rebelo do que estávamos com Jaques Wagner”.
O tempo será o juiz da minha confiança nos Soldados que confiam na pessoa do novo Ministro da Defesa!
Gen Bda Paulo Chagas