MEMORIAL 31 DE MARÇO DE 1964

MEMORIAL 31 DE MARÇO DE 1964
Avião voa sobre a orla carioca em 31/03/2014, ostentando faixa com os seguintes dizeres: "PARABÉNS MILITARES - 31/MARÇO/64 - GRAÇAS A VOCÊS O BRASIL NÃO É CUBA". Clique na imagem acima para acessar MEMORIAL 31 DE MARÇO DE 1964 - uma seleção de artigos sobre o tema.

domingo, 18 de outubro de 2015

Desmentindo o Desarmamento

Desmentindo o Desarmamento


Essa é a primeira postagem do blog, que foi criado na madrugada de hoje, dia 23/09, logo após a exibição do programa da rede Globo, Profissão Repórter. O nível baixo e o apelo emocional em cadeia nacional foram o que me fizeram abrir o blog. Por muito tempo eu ouvi mentiras sobre o controle de armas e vejo até hoje pessoas acreditando nelas e as repetindo. É é pra isso que o blog aqui existe, pra desmentir, uma a uma, essas mentiras.

Bem, eu nem sei por onde começar. O festival de mentiras, apelações e falta de caráter foi tão grande, que eu não sei como escrever um começo, meio e fim. Então eu vou usar um esquema de tópicos. Vou elencar os absurdos e as mentiras ditas, e logo abaixo vou desmenti-las. 





Primeiro ponto:

O primeiro ponto vai ser justamente sobre a imagem que coloquei acima. Ao contrário de Caco Barcelos e sua equipe, eu tenho respeito pela dor de uma família que perdeu um ente querido tragicamente. Não vou usar a foto deles, nem a tristeza pra fazer sensacionalismo ou forçar um argumento apaixonado e sem análise coerente. Entrevistando a mãe do rapaz assassinado, o repórter pergunta se ela acredita que o filho estaria vivo se não existisse a arma de fogo em questão. É claro, para a mãe que acaba de perder seu filho, a resposta é sim. Mas vamos pensar melhor. No Brasil acontecem 6 homicídios por hora, sendo a maioria deles com uma arma de fogo (pasme, logo no país super seguro do desarmamento). Diminuir os crimes só seria possível se num passe de mágica pudéssemos assim como com as armas, sumir com a maldade, a raiva e a prepotência humana da face da terra, mas isso é utopia. Pessoas dispostas a cometer crimes sempre estarão armadas. Acreditar que o controle de armas desarma bandido é ilusão. Prova disso, é que o revólver usado no crime era proveniente do tráfico, de numeração raspada. Ora, se não puder o tiro, não tentará o assassino usar o corte? E se não houver faca, não vai tentar o arremesso ou o golpe? E se o objeto não tiver massa suficiente, não vai tentar o envenenamento? Se não houver veneno suficiente, não vai tentar a esganadura ou a mordida? Acreditar que crimes deixam de acontecer porque o assassino não tem em mãos um objeto é inocência. Quem sabe se o rapaz em questão tivesse armado legitimamente, pudesse ter poupado sua vida, ter espantado o assassino. Mas isso não passa de suposição, já que no país da paz e do desarmamento, 60 mil homicídios acontecem ao ano, e o cidadão que quer cumprir a lei vira refém daqueles que o desarmamento só ajuda.

Segundo ponto:
Durante o programa, como era de se esperar, deram voz aos deputados favoráveis ao desarmamento, e utilizaram somente as falas convenientes dos deputados contra a rigidez das leis anti-armas. Um dos deputados, não me recordo qual deles que compõem a comissão, diz de peito estufado: "Arma só traz violência. Quanto mais armas, mais crimes. Estudos sérios apontam para isso." Fica aqui minha pergunta ao deputado, caso ele chegue a ler o que eu escrevo, que estudos deputado? Os do Viva Rio? Aquela "Ong" que recebeu 12 milhões do governo só em 2013 pra mentir sobre desarmamento? Os estudos do Sou da Paz? Outra "Ong" de meninos bonzinhos, pacifistas e incautos que de 1996 a 2015 recebeu exatos R$ 403.429.680.077,72 de reais para mentir sobre as armas? Com certeza os estudos sérios, de órgãos mundiais comprometidos que não são. Por exemplo, o estudo do DAP, departamento subordinado a Casa Branca, diz o contrário. Outro bom ponto referencial, sem métodos tendenciosos, é o relatório da UNODC, órgão da ONU, que diz que é impossível estabelecer relação entre quantidade de armas e violência no mundo, visto o grande volume de armas legais e o baixíssimo número de crimes cometidos com elas. Existem também literatura especializada, mas paga, como por exemplo o livro do Dr. Jhon Lott, professor da universidade da Califórnia, chamado "Mais armas menos crimes" e o "Preconceito contra armas", estudos sérios, com metodologia explicada e anos de estudos para comprovar o que o mundo inteiro já viu. Quanto mais armada é uma sociedade, mais segura ela é.

Mais armas, mais crimes? Se eu fosse um ladrão, essa seria a última família que eu assaltaria.


Terceiro ponto:

Durante o programa, alguns enganos um tanto quanto suspeitos foram cometidos ao se falar da nova legislação que visa substituir o estatuto do desarmamento. Absurdos como "todos poderão ter armas", "Quem responde criminalmente poderá comprar armas" e etc. Não vou gastar tempo batendo nessa tecla, o projeto de lei é bem claro, qualquer um pode ler e tirar suas próprias conclusões sobre o que foi dito no programa. A última versão do projeto de lei está aqui.

Quarto (e mais importante) ponto:

Mais uma vez, a velha mentira, os mesmos dados maquiados e falsos. Na verdade são dois. O primeiro: 83% dos homicídios cometidos em São Paulo são por motivos fúteis. Isso é MENTIRA. Num país em que somente 8% dos crimes tem solução, como querem dizer que no estado de SP 83% dos crimes são passionais? Isso não é verdade. O que eles fazem é pegar a taxa de crimes resolvidos e ver nesses, quantos são passionais. É óbvio que o número é altíssimo. Na grande maioria das vezes os crimes passionais tem autor conhecido, testemunhas, acontecem em casa, o assassino é preso no próprio local, e é justamente por esse motivo que esses crimes são solucionados, porque é fácil. Ou seja, dizer que 83% dos homicídios são por motivo fútil e causados com arma de fogo, é numerologia, invencionice, é violentar os números até eles falarem.

Segundo: Num primeiro momento o programa diz que somente 52% das armas apreendidas podem ser rastreadas. Alguns segundos depois, diz que 83% das armas são de origem nacional e um dia foram legais. Adivinha? Claro, é mentira. Sim, a parte de que a maioria das armas são de origem nacional é verdadeira, mas eis aqui a questão: A indústria brasileira de armas, sempre teve e ainda tem como principal fonte de lucro, a exportação de armas de fogo. O lucro das empresas brasileiras não está no mercado interno, que só tem 16 mil armas legais. Isso é tão verdade que a Taurus, maior fabricante brasileira, é a 3ª maior vendedora de armas nos EUA. Inclusive tem uma fábrica em solo americano. As armas do crime, as usadas por traficantes, são produzidas no Brasil, exportadas, e voltam por meio do tráfico de armas, não são roubadas do cidadão, como dizem. E suponhamos que realmente, as armas do crime fossem armas roubadas de cidadãos ordeiros. Isso é motivo para tolher o direito alheio de ter armas? Se meu carro é roubado e usado em um sequestro, a culpa é minha, que tive o carro roubado? Se meu celular é furtado e usado para comandar uma cachina, a culpa dos homicídios é minha, que tive meu celular roubado? É óbvio que não. Mas para não deixar essa parte vazia, vamos as estatísticas:

Segundo o próprio Viva Rio, durante 1951 e 2003, somente 25,6% das armas apreendidas um dia foram legais, armas que foram roubadas por bandidos de seus donos legais. Ou seja, mesmo que o governo acabasse com todas as armas legais do território nacional, só teria conseguido apreender 1/4 das armas usadas em crimes. Se você acha que 1/4 já é algo, pense com mais lógica. Para se reduzir 25% das armas do crime, teria-se que reduzir 100% das armas nas mãos de cidadãos cumpridores da lei. Para quem se interessar em aprofundamento na questão, disponibilizo aqui o site do pesquisador Fabrício Rebelo que acabou de vez com essa mentira em seu artigo "Rastreamento de armas no Brasil - A grande falácia"

Quinto e último ponto:

Aqui eu quero só comentar o teatro mal ensaiado que aconteceu na segunda parte do programa. A equipe de reportagem foi atrás de um suposto traficante de armas, mas disse que não poderia informar endereço nem dar pistas do bairro, pois foi exigência do criminoso para que desse a entrevista. Vou aguardar a polícia militar de SP procurar a equipe de Caco Barcelos pra perguntar onde está o tal traficante de armas. Não suficiente, o suposto traficante, que nem sabia pegar e manusear uma arma, disse que tem "consciência social", que se a arma for pra briga e motivo fútil ele não vende. Parafraseando um certo "filósofo" brasileiro, "Ora puta que pariu o que esse cara tem na cabeça meu Deus do céu?" Alguém aqui acredita que um traficante de armas deixa de vender seu produto para ir ao bar dialogar com a possível vítima de homicídio? Alguém aqui acredita que a equipe do Caco foi até uma favela comprar um revólver velho, .38 canela seca que mata no máximo de tétano? Alguém aqui acreditou na palhaçada que o tal traficante disse de que "Bandido não me procura. Quem me procura é gente querendo arma para defesa pessoal."? Profissão Repórter, se é pra forjar entrevista, chamem um ator que pelo menos já tenha dado um tiro na vida. De qualquer forma, mesmo que seja real, se o cidadão precisa recorrer ao tráfico para ter uma arma pra sua defesa, é porque o estado o taxou de criminoso em potencial, proibindo que ele tenha sua arma registrada.

Pra primeira postagem é isso pessoal. Ficou comprida, mas eu não aguento mais ver a imprensa e essas "ogs" desarmamentistas contando uma mentira mais absurda que a outra. Pior, não aguento ver o povo acreditando nisso tudo. Quero destacar a participação do Lucas Silveira, lá do Instituto Defesa, o qual o link ta no rodapé do blog. Pelo menos isso, tiveram a decência de mostrar o outro lado, a outra opinião, mesmo que muito superficialmente e sempre tentando taxar os atiradores e defensores do direito da legítima defesa de ignorantes, grossos e perigosos. Continuem lendo sobre o assunto, procurem a literatura especializada, assistam os canais do Youtube e curtam as páginas do facebook que lutam pela legítima defesa. Não seja mais um instrumento de disseminação de desinformação e terrorismo ideológico.

Até a próxima. Juntos nós somos invencíveis.

http://desmentindoodesarmamento.blogspot.com.br/2015/09/profissao-reporter-ou-quase-isso-230915.html#more