MEMORIAL 31 DE MARÇO DE 1964

MEMORIAL 31 DE MARÇO DE 1964
Avião voa sobre a orla carioca em 31/03/2014, ostentando faixa com os seguintes dizeres: "PARABÉNS MILITARES - 31/MARÇO/64 - GRAÇAS A VOCÊS O BRASIL NÃO É CUBA". Clique na imagem acima para acessar MEMORIAL 31 DE MARÇO DE 1964 - uma seleção de artigos sobre o tema.

terça-feira, 14 de julho de 2015

Exército esclarece sobre denúncias de coletes balísticos e vidros blindados

MINISTÉRIO DA DEFESA
EXÉRCITO BRASILEIRO
GABINETE DO COMANDANTE
CENTRO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL DO EXÉRCITO

NOTA DE ESCLARECIMENTO – REPORTAGEM DO FANTÁSTICO

 
A propósito da notícia veiculada pelo Fantástico, em 05 de julho de 2015, versando sobre coletes balísticos e vidros blindados, o Centro de Comunicação Social do Exército presta esclarecimento, a seguir, sobre tópicos de maior relevância.

O Exército Brasileiro (EB) lamenta profundamente o falecimento do Policial Rodoviário Federal Luiz de Gonzaga Pereira Santos, morto no cumprimento do seu dever.

A Força Terrestre não teve acesso aos dados técnicos do colete, objeto da reportagem, tampouco ao resultado da perícia conduzida pelos órgãos de Segurança Pública. O EB dispõe apenas de informações inconclusivas, que deverão ser confirmadas até o término das investigações.

O Centro de Avaliações do Exército (CAEx) realiza seus testes à luz de rígidas normas técnicas. Desse modo, o Exército ratifica que as amostras dos coletes testadas e aprovadas pelo CAEx oferecem o nível de proteção para o qual foram certificadas.

Ressalta-se que o fabricante tem a responsabilidade de manter os produtos com a mesma qualidade e as especificações das amostras aprovadas pelo CAEx. Caso isso não ocorra, responderá por eventuais falhas na produção ou na alteração de caraterísticas dos artigos fabricados.

Em relação aos testes em coletes conduzidos pela Polícia Militar de São Paulo, o EB informa que não teve acesso à metodologia empregada e aos dados técnicos dos coletes apresentados para aquela avaliação. Por conseguinte, não cabe juízo de valor sobre a ação.

Sobre vidros blindados, a Força Terrestre comunica que já havia tomado providências administrativas, antes mesmo das reportagens, para a elucidação dos fatos e a sanção daqueles que venham a ser identificados como responsáveis.

Cumpre salientar que os episódios citados na reportagem teriam ocorrido muito antes da assunção da Diretoria de Fiscalização de Produtos Controlados pelo Gen Luiz Henrique e em organização militar não subordinada a essa Diretoria. Logo, não há nexo entre os fatos e a movimentação do referido Oficial-General.

O Exército Brasileiro ratifica que não compactua com qualquer tipo de irregularidade praticada por seus integrantes e reafirma seu compromisso de conduzir as ações pelo estrito cumprimento das normas legais, pela transparência dos seus atos e pela colaboração com outros órgãos para a elucidação dos fatos.
 
GENERAL DE BRIGADA OTÁVIO SANTANA DO RÊGO BARROS
Chefe do Centro de Comunicação Social do Exército