MEMORIAL 31 DE MARÇO DE 1964

MEMORIAL 31 DE MARÇO DE 1964
Avião voa sobre a orla carioca em 31/03/2014, ostentando faixa com os seguintes dizeres: "PARABÉNS MILITARES - 31/MARÇO/64 - GRAÇAS A VOCÊS O BRASIL NÃO É CUBA". Clique na imagem acima para acessar MEMORIAL 31 DE MARÇO DE 1964 - uma seleção de artigos sobre o tema.

quarta-feira, 4 de fevereiro de 2015

ORIENTE MÉDIO: OS EUA ABRIRAM AS TAMPAS DO INFERNO

ORIENTE MÉDIO: OS EUA ABRIRAM AS TAMPAS DO INFERNO

Félix Maier

O problema do jihadismo mundial começou com a invasão soviética do Afeganistão. Antes, os ataques muçulmanos eram dirigidos, principalmente, contra Israel, considerado um quisto no mundo islâmico. Depois da invasão, grupos islâmicos de todo mundo afluíram para lutar contra os soviéticos. A partir de então, passaram a ter know how de combate e armamento farto - com a prestimosa ajuda norte-americana. O mesmo movimento jihadista ocorreu durante a Guerra dos Bálcãs, especialmente na Bósnia-Herzegovina, quando surgiu a Al-Qaeda, inicialmente uma organização de ajuda humanitária

Como sempre ocorre, e os EUA não tomam jeito, eles sentiram na pele os ataques islâmicos, em missão de paz na Somália, em 1993, quando mísseis cedidos pelos americanos na guerra contra os soviéticos se voltaram contra eles mesmos, abatendo helicópteros "Falcão Negro" (UH-60 Black Hawk), e soldados americanos foram arrastados sem vida pelas ruas de Mogadíscio, espantando os americanos da região.

A tampa do inferno no Oriente Médio foi aberta, de vez, pelos americanos, com as Guerras contra o Iraque (1991 e 2003) - e o "sacrilégio" das Forças americanas acampadas no sagrado solo da Arábia Saudita - e contra o Afeganistão (2001). A partir de então, passamos a acompanhar o aumento do antiamericanismo entre os muçulmanos do mundo inteiro e o aumento de ataques, não só contra os EUA, mas também contra seus aliados, como o Reino Unido, a França e, recentemente, contra a Austrália e o Canadá.

E há quem se espante com os ataques feitos por muçulmanos contras as torres gêmeas, em Nova York, e em Boston. E há quem classifique apenas os islâmicos como terroristas, quando os EUA não são nada diferentes, por destruir toda a infraestrutura do Iraque e da Sérvia (neste caso, em ação da OTAN), matando milhares de inocentes e contaminando adultos e crianças com urânio depletado - cfr.
http://felixmaier1950.blogspot.com.br/2014/07/o-fim-da-inocencia-da-onu.html. E muitos ataques ainda ocorrerão no futuro, não tenho dúvidas.

Por que existem tantos jihadistas partindo da França e do Reino Unido, para combater ao lado do Estado Islâmico, lembrando a leva dos brigadistas da Guerra Civil Espanhola? Simples: a França e a Inglaterra sempre foram férteis incubadoras do terrorismo internacional, seja comunista ou islâmico - além de acolher muçulmanos aos milhões, sem exigir assimilação cultural/religiosa nos novos países, resultando em um multiculturalismo suicida, que poderá transformar o continente europeu em uma autêntica Eurábia. Leia sobre o assunto em

Hoje, pagam o devido preço.