MEMORIAL 31 DE MARÇO DE 1964

MEMORIAL 31 DE MARÇO DE 1964
Avião voa sobre a orla carioca em 31/03/2014, ostentando faixa com os seguintes dizeres: "PARABÉNS MILITARES - 31/MARÇO/64 - GRAÇAS A VOCÊS O BRASIL NÃO É CUBA". Clique na imagem acima para acessar MEMORIAL 31 DE MARÇO DE 1964 - uma seleção de artigos sobre o tema.

terça-feira, 20 de janeiro de 2015

ODORICA PARAGUAÇU

ODORICA PARAGUAÇU

Aileda de Mattos Oliveira (19/1/2014)  

Uma senhora apátrida! Apta, portanto, a receber as condecorações de praxe pelo desmonte espetacular do patrimônio moral e cultural brasileiro, coadjuvada por companheiros de ontem e de hoje, sem que um dedo fosse movido para impedir o aviltamento da Nação, interna e externamente. Total consenso desse povo cordial. E isso, sem fraude. 

Odorica Paraguaçu, a catastrófica personagem do nosso cotidiano, em mais um discurso hipócrita, lança aos ares a fórmula estrondosa que resume o seu tanto de amor ao País e o seu tanto de respeito à Educação. Realmente, falta a essa desgovernada senhora a salutar autocrítica e um revisor realista.
A tal “Pátria Educadora” soou como uma piada fora de contexto, uma caricatura oral, de um péssimo escriba assessor, querendo fazer média com a população. Mas, qual delas? A que recebe ou paga as bolsas, embora ambas, em matéria de acomodação, igualem-se?

Cópia malfeita, trombuda, saída da ficção, fala sem responsabilidade, apenas preenchendo as formalidades do cerimonial, coisa que a incomoda por não ser usual na sua tribo.

Um conselho, dona: não profane as palavras. Não fale em Pátria, em Educação, em Civismo, em Valores, por não fazerem parte do seu acervo, do seu viver, de sua herança cultural, do seu meio político. Tornam-se sacrílegas expressões na sua irritante voz.

Somente uma política raquítica e rasteira como a brasileira permite a velhacos da República usarem de trapaças verbais que ainda ludibriam Editoriais, ilusória ou convenientemente complacentes.

Ambiciosos demagogos, de baixo nível, costumam transformar o país numa charge continental aos olhos do mundo ao lançarem aos ventos fórmulas de efeito épico, balões de ensaio para avaliação do alcance da próxima vilania.
E a avaliação chegou, só que às avessas, conforme o politicamente correto estabelecido, e provou que a dona Odorica deve desligar a vitrola desarranjada, pois o “ENEM cidadão” confirma que os estudantes (?) seguiram à risca o presidente anterior que nunca leu um livro, e ela própria, que briga com foice e martelo para pôr as “estarrecidas” palavras nos devidos lugares.
Como vemos, essas gerações de futuros dirigentes da nação, foram muito bem-doutrinadas pelos mais caros modelos da boçalidade: o alambiqueiro e a grande mestra da “Pátria Educadora” e, como eles, tiram zero toda vez que abrem a boca ou rabiscam as maltraçadas linhas. 

Mas não podemos negar a vitória petista. O resultado do ENEM retrata, com exatidão, o alvo do partido: impedir gerações de brasileiros de progredir, levando-as, progressivamente, de volta às cavernas da ignorância total.
Claro que estão comemorando, pois esse é o primeiro e único objetivo de seu programa de implosão institucional, e com resultado para lá de positivo para a facção.

Para tornar o Brasil um gigante em analfabetismo, em miséria intelectual, o maior do mundo em atraso mental e ser destaque nas manchetes internacionais como “A GANGUE VERMELHA PÔS A PIQUE A FILOSOFIA PLATÔNICA”, é necessário raspar os cofres da PetroPT e do contribuinte otário.

Platão não sabia o “que eles podiam fazer”, principalmente a Odorica Paraguaçu, por isso considerou que quem sai da caverna e vê a luz, jamais a ela voltará.* 

Não sabia ele que uma produção maléfica iria ser jogada no mundo e pôr abaixo os clássicos. Desgraçadamente, o Brasil foi a cesta.

*Livro VII, A República.

Dr.ª em Língua Portuguesa. Vice-Presidente da Academia Brasileira de Defesa