MEMORIAL 31 DE MARÇO DE 1964

MEMORIAL 31 DE MARÇO DE 1964
Avião voa sobre a orla carioca em 31/03/2014, ostentando faixa com os seguintes dizeres: "PARABÉNS MILITARES - 31/MARÇO/64 - GRAÇAS A VOCÊS O BRASIL NÃO É CUBA". Clique na imagem acima para acessar MEMORIAL 31 DE MARÇO DE 1964 - uma seleção de artigos sobre o tema.

segunda-feira, 20 de outubro de 2014

O MINEIRO SABIA A SOLUÇÃO



O MINEIRO SABIA A SOLUÇÃO 

Por Coronel R1 Mário Heckscher Neto, da AMAN

Tempos atrás, durante o governo Lula, precisei fazer uma viagem a Belo Horizonte. 

Resolvi viajar pela estrada do circuito das águas, passando pelo sul de Minas. 

Ainda na via Dutra, pouco antes de entrar na mencionada estrada, apanhei um carona,  um homem pobre de meia idade, vestindo roupas surradas e carregando uma pequena sacola. 

Imediatamente iniciamos uma conversa. Perguntei-lhe o que fazia tão cedo naquele local e para onde ia. Respondeu-me que estava desempregado, que era garçom, morava em Perdões e estava voltando para casa, depois de passar duas semanas no litoral do Estado do Rio, mais exatamente na região de Angra dos Reis, tentando arranjar um emprego. 

Era verão e o homem, que se chamava Valdemar, imaginara que, com o aumento dos turistas fazendo veraneio, conseguiria o tão almejado emprego. 

Conforme íamos subindo a serra da Mantiqueira, ele ia desfiando suas desventuras e dificuldades. Eu mais escutava do que falava e não lhe disse quem era e onde trabalhava. E o Valdemar falava e falava e contava causos de antigamente. 

Dizia assim: “Quando eu era novo, no tempo da ditadura, ninguém ficava desempregado. A empresa mandava buscar a gente de ônibus na porta de casa. Quem quisesse tinha emprego e se não gostasse, podia sair sem susto; no dia seguinte arranjava outro. Mas agora? Olha só o que tá acontecendo! Tô desempregado, vivendo de biscate e olha, sei fazer uma porção de coisas!” 

E continuava: “Bom mesmo era no tempo do general Gaise. Êta home bravo! Naquele tempo, político ladrão não tirava farofa. Ia tudo preso e o Gaise ainda mandava torturar os vagabundos! O Brasil funcionava! Tinha emprego pra todo mundo e bandido e traficante ia tudo pra cadeia. Casa, a gente comprava no BNH. Foi assim que eu comprei a minha. E hospital? Não era essa bagunça de hoje. Todo mundo era atendido e ainda ganhava remédio.” 

Mais adiante eu perguntei se ele, ou algum de seus parentes, ganhava o “bolsa família”. E ele respondeu: “Essa esmola que os políticos dão pra gente votar neles? Meu amigo, o que nóis qué não é esmola, é emprego!” 

E o tempo foi passando, até que o Valdemar desembarcou no seu destino. Não esqueci mais daquela conversa. Em sua simplicidade, o mineiro do interior falou quase igual a um presidente dos Estados Unidos, que disse mais ou menos o seguinte: “O melhor programa social é criar bons empregos para todos!”
Entretanto, aqui no Brasil, o governo se vangloria do programa “bolsa família”, Satisfeito com o curral eleitoral que criou, e ainda se jacta de ter aumentado o número de beneficiados, isto é, confessa que o problema não está diminuindo, está aumentando. 

Muitos não percebem que este programa não é a solução. Ele apenas nos mostra o tamanho da pobreza que temos no Brasil, isto é, cerca de 15 milhões de famílias que precisam receber esmola do governo. E, o mais incrível, dizem que a classe média aumentou! 

ATENÇÃO, PETISTAS E AGREGADOS! A solução para a pobreza é: parar de roubar, desenvolver o Brasil e criar bons empregos para os brasileiros. 

O resto é pura BOBAGEM!