MEMORIAL 31 DE MARÇO DE 1964

MEMORIAL 31 DE MARÇO DE 1964
Avião voa sobre a orla carioca em 31/03/2014, ostentando faixa com os seguintes dizeres: "PARABÉNS MILITARES - 31/MARÇO/64 - GRAÇAS A VOCÊS O BRASIL NÃO É CUBA". Clique na imagem acima para acessar MEMORIAL 31 DE MARÇO DE 1964 - uma seleção de artigos sobre o tema.

sábado, 27 de outubro de 2012

Levante Popular da Juventude: O ovo da serpente

 Integrantes do Levante Popular da Juventude
 
 
Tarso Genro, governador do RS, sentado
na primeira fila
 
Acampamento do Levante, no RS
 


João Pedro Stédile, líder do MST


Acampamento do Levante, RS
 


 
Acampamento do Levante Popular da Juventude
 

 

LEVANTE POPULAR DA JUVENTUDE

Para que tomem conhecimento da gravidade da situação, visitem o site aqui 

      
     
     

   

Esta Mensagem é especialmente para aqueles que vivem repetindo que o comunismo já morreu. 

Querem saber como se transforma jovens em guerrilheiros urbanos? Foram estes mesmos jovens que estiveram na frente do Clube Militar cuspindo na cara de idosos (aquele que Tarso Genro, coincidentemente estava passando na hora da manifestação no Rio de Janeiro e que até hoje não explicou o que estava fazendo lá). Foram eles também que estiveram na frente das casas de agentes da repressão e grafitaram ofensas, acusações, sem pensarem que estas pessoas tem famílias. 

E UM ALERTA A TODOS VOCÊS QUE ME LEEM NESTE MOMENTO.

Texto completo

Caso você reclame de suas ações, ou que arrume encrenca com algum deles ou mesmo que não sorria enquanto eles estiverem destruindo alguma viatura de polícia, a

Aqui a serpente põe os ovos, com mais recursos e técnicas que em 1964.
E, enquanto eles se LEVANTAM, continu-
amos "deitados em berço esplêndido".

Vejam o vídeo aqui!



 



 

12-04 - Doutrinação do povo

 



 
  A"bandeira"é so um disfarce. Esse movimento
  é a tentativa de realização de um sonho, das 
  décadas de 60 e 70 -  a criação do Exército
  de Libertação do Povo-ELP. Vejam  como eles
  estão doutrinando a nossa JUVENTUDE: 
                    Clique  
aqui 
Não deixe de ler
A Bienal Socialista de Brasília


De Carla Bueno e Edison Junior Rocha, militantes do Levante

Exclusivo para o Conversa Afiada
 
Observação do site www.averdadesufocada.com
 

 Exclusivo, mas já que "querem ultrapassar as paredes dos gabinetes e chegar ao povo", sentimo-nos na obrigação de levar também ao conhecimento da sociedadebrasileira, ainda que nosso alcance seja pequeno, as verdadeiras intencões do Levante Popular da "juventude" .
Texto completo

É preciso que o povo saiba qual   é o seu ídolo - Marighella - o ideólogo do terror, autor do" Manual do guerrilheiro urbano', que foi usado pelas organizações terroristas do mundo inteiro.

É preciso que o povo saiab que sua referência de luta e organização é o MST, que ainda tenta ser o "Exército de Libertação Popular ", tão sonhado nas décadas de 60 e 70.

Leiam  a matéria a seguir:

"Os esculachos que organizamos e têm se repetido por jovens de todo o Brasil nasceram, em condições diferentes, na Argentina. Lá a sociedade impôs a punição de torturadores, assassinos, estupradores e seqüestradores que participaram da repressão da ditadura.

Mas os povos podem aprender das experiências uns dos outros! Na Argentina e do Chile, o método do escrache ou funa expõe aos olhos do mundo a necessidade da construção da Memória, Verdade e Justiça. 

Nos últimos quinze dias, as nossas ações ajudaram a pautar no Brasil a luta pela punição dos torturadores. Um novo ator e um novo instrumento de luta entraram em cena: nós, jovens, com os esculachos de responsáveis pelo assassinato, desaparecimento e torturas de milhares de brasileiros.

O nosso método é simples: denunciar à sociedade que entre nós, na sociedade, ainda circulam criminosos impunes, apresentar à sociedade um violador ou uma violação de Direitos Humanos. 

Na realização dos escrachos, não queremos estabelecer uma relação com os torturadores, mas com a sociedade e com o Estado, para denunciar as violações de direitos humanos. 

O escracho não é uma sanção ou um castigo. Não queremos nos antecipar a uma punição para esses criminosos. Não queremos substituir as autoridades policiais e do Ministério Público ou o Poder Judiciário. 

Queremos ultrapassar as paredes dos gabinetes e, às vistas de todo o povo, não apenas exigir o cumprimento da lei, mas demonstrar onde está aquele que a lei diz que deve ser processado e punido. 

Nós, jovens, que nascemos nas décadas de 80 e 90, não admitimos que as feridas da ditadura continuem abertas e que o nosso futuro seja comprometido por essa âncora pesada e manchada do sangue dos lutadores pela liberdade, que marca o nosso presente. 

O Levante Popular da Juventude é um movimento novo. Nasceu em 2006, no Rio Grande do Sul, mas a partir deste ano passou a se organizar em 17 estados. 

Temos como exemplo o companheiro Carlos Marighella, com seu exemplo de convicção ideológica, persistência na luta e coragem para agir. 

Marighella acreditava que uma organização se constitui na ação. Por isso, nosso movimento se lançou à sociedade na luta e nas ruas, no enfrentamento com os inimigos. 

Sim, a nossa referência de luta e organização é o MST. Por isso, nosso método do esculacho tem parentesco com as ocupações de terras, que exigem o cumprimento do dever legal de fazer a reforma agrária, a demonstração da existência das áreas que não cumprem sua função social e, por isso, podem ser desapropriados. 

O Levante organiza jovens para lutar pelos direitos da juventude e por transformações sociais no nosso país. Somos jovens das periferias e morros, das escolas e universidades, dos sindicatos, das fábricas e do comércio, dos assentamentos e acampamentos. 

Temos a tarefa de fazer um acerto de contas com o nosso passado, mas queremos fechar também as feridas aberta pelos privatas do neoliberalismo de FHC. 

Temos a convicção de que, aqui no Brasil, seremos capazes de fazer triunfar a força dos justos que os nossos gritos as ruas anunciam.

Um esculacho é sempre o anúncio de outro. Porque, se o escrachado de hoje pode ser o torturador de ontem, o escrachado de amanhã – já se anuncia – poderá ser o policial, o promotor ou o juiz que hoje prevaricar e proteger os criminosos. 

A polícia que reprimiu, torturou e matou aqueles que lutavam pela liberdade durante a ditadura é a mesma que persegue, humilha, agride e assassina juventude pobre negra das periferias das grandes cidades. É a mesma que despeja violentamente as famílias do Pinheirinho e os estudantes que fazem ocupações legítimas nas universidades.

A ferida está aberta e, só com a verdade, memória e justiça, será construído os trilhos de um país que, de fato, possa levar a cabo o período de sombras e deixar refletir a luz que iluminará o caminho da consolidação de um projeto democrático e popular para o Brasil. 

Nossas lutas vão continuar. Mais esculachos virão. Mais lutas serão travadas em defesa de justiça, de direitos e de transformações estruturais. Esperamos que mais jovens se somem ao nosso movimento. Só com organização e luta serão realizadas as mudanças necessárias para o Brasil.


26/03 - Hienas do Kremlin preparam juventude
Por Maria Joseita Silva Brilhante Ustra

Pesquisado e editado por www.averdadesufocada.com
 
Leia Texto completo

Levante Popular da Juventude

 

Félix Maier

 

Composto por “hienas do Kremlin”, adestradas por Tarso Genro, o qual tem acompanhado fisicamente os “escrachos” ou “esculachos” de jovens fanáticos, tanto contra militares da reserva em março de 2012, em frente ao Clube Militar do Rio de Janeiro, quanto no Acampamento Nacional em Santa Cruz do Sul, RS, em maio do mesmo ano.

 

O ídolo dos fanáticos é Carlos Marighella, o ideólogo do terror. O “escracho” que dizem realizar - com pichações de casas onde habitariam ex-torturadores, para humilhá-los perante a sociedade - nasceu na Argentina, onde há tropas kirchneristas desde quando o marido da atual viúva alegre, Christina, era presidente.

 

Essas tropas de choque lembram a Sturmabteilung de Hitler, os Jovens Fasci de Combate ou balillas de Mussolini, os guardas vermelhos de Mao, os CDRs cubanos, os GAP de Salvador Allende e as milícias bolivarianas de Hugo Chávez. Sua referência é o MST, com o qual os fanáticos pretendem criar um “exército popular de libertação”.

 

O Levante nasceu no RS em 2007 e em 2012 já estava organizado em 17 Estados.