MEMORIAL 31 DE MARÇO DE 1964

MEMORIAL 31 DE MARÇO DE 1964
Avião voa sobre a orla carioca em 31/03/2014, ostentando faixa com os seguintes dizeres: "PARABÉNS MILITARES - 31/MARÇO/64 - GRAÇAS A VOCÊS O BRASIL NÃO É CUBA". Clique na imagem acima para acessar MEMORIAL 31 DE MARÇO DE 1964 - uma seleção de artigos sobre o tema.

segunda-feira, 21 de março de 2011

A novela do golpe militar


A Novela do Golpe Militar

Artigo no Alerta Total – http://www.alertatotal.net/

Por Jorge Serrão – 20.03.2011

A ficção nem sempre imita bem a realidade. E quando a distorce, ainda ajuda a perpetuar inverdades sobre a História. O SBT vai estrear no dia 5 de abril, às 10h 30min, a novela “Amor e Revolução”. Pelo trailer divulgado até agora, tudo indica que a obra será mais uma eficiente peça de propaganda ideológica na crescente campanha de desmoralização das Forças Armadas no Brasil pós-1964.

O Alto Comando do Exército já está muito preocupado com os efeitos deste verdadeiro “golpe” psicossocial. Produto de consumo popular, a novela coincide com a intenção do governo de instituir a tal Comissão da Verdade – que visa a investigar exclusivamente os crimes (mortes, torturas, desaparecimentos, perseguições) atribuídos aos militares na repressão à luta armada que sonhava implantar o comunisno no Brasil, nas décadas de 60-70.

O Alerta Total já cansou de alertar aos membros do Exército, Marinha e Aeronáutica. Desde a década de 70, existe uma evidente intenção de desmoralizar as Forças Armadas no Brasil. O objetivo psicossocial é criar uma antipatia tão grande com as Legiões. Para que se chegue à “natural conclusão” de que o Brasil não precisa tanto de Forças Armadas.

Os inimigos das Legiões fazem o serviço para a Oligarquia Financeira Transnacional. O pequeno grupo que controla os negócios globalitários deseja manter o Brasil como uma simples plataforma subdesenvolvida para exploração de recursos naturais, financeiros e humanos. Eles querem desmoralizar o Exército, Marinha e Aeronáutica porque sabem muito bem que a destinação institucional das Forças Armadas é a Defesa Incondicional da Pátria. Com uma defesa débil, a Pátria fica na mão dos parias que nos exploram – porque deixamos.

O Exército suportará o “golpe” de anti-propaganda da novela? A tendência é de desgaste da imagem institucional. No imaginário popular, os militares voltam a ser relacionados com abuso de autoridade, ditadura, violência, e fanatismo ideológico. Enfim, os militares novamente serão ligados ao desrespeito aos direitos humanos, à liberdade e à democracia.

Tecnicamente, as Legiões serão vítimas da chamada Guerra Assimétrica ou de Quinta Geração. Trata-se da tentativa de origem externa, por quaisquer meios e agentes internos ou externos, para afetar a soberania de um País, minando os cenários político, econômico, tecnológico, psicossocial, ambiental e militar. Neste teatro de operações assimétrico, tudo parece muito difuso. Não é fácil perceber o verdadeiro inimigo.

O trailer da novela não deixa dúvidas. Ela será flagrantemente maniqueísta. A obra tem o foco de tratar os militares como assassinos, torturadores e ditadores, enquanto aqueles que lutaram para implantar o comunismo no Brasil seriam heróis revolucionários numa luta mortal contra uma ditadura, em nome da liberdade e da Justiça Social. Quem não vivenciou a história real – ou nem estudou diferentes versões dela – vai ser seduzido, facilmente, pelo enredo da novela.

O SBT propagandeia sua “trama ficcional” como a primeira na televisão brasileira a se passar inteiramente na época da Ditadura Militar, entre as décadas de 60 e 70. Antes de ir o ar, a novela já é um sucesso comercial. A Procter & Gamble já adquiriu uma das quatro cotas publicitárias, no valor de R$ 8,9 milhões/mês. As outras devem ser fechadas até a estreia pelo diretor comercial do SBT, Henrique Casciato.

“Amor e Revolução” foi escrita por Tiago Santiago – escritor premiado, romancista, dramaturgo, sociólogo, roteirista de novelas e diversos programas de sucesso na TV. A novela terá direção de Reynaldo Boury – um dos mais consagrados diretores da história da Rede Globo. Pela qualidade das cenas e interpretações exibidas até agora no trailer oficial do SBT, a novela tem tudo para ser um estrondoso sucesso. A novela tem blog oficial: http://amorerevolucao.webnode.com

Os atores fizeram um intenso laboratório de criação no início deste ano, no estúdio 7 do Complexo do SBT, na Anhanguera. Fotografias, vídeos, armas e aparelhos eletrodomésticos faziam parte da decoração que relembrava os anos 60 no Brasil. Neste cenário, eles interagiram com pessoas que viveram aquele período histórico – claro, compatíveis com a visão ideológica pró-esquerda que a novela deseja retratar.

Em seu elenco, atores de indiscutível qualidade. Graziela Schmitt, Claudio Lins, Cláudio Cavalcanti, Isadora Ribeiro, Lúcia Veríssimo, Patrícia de Sabrit, Luciana Vendramini e Licurgo Spínola formam o núcleo de “heróis revolucionários” que lutarão pela liberdade contra os “Gorilas Ditadores”. Só falta a novela terminar com uma das heroínas se elegendo Presidenta da República. Por que não?!

A defesa da Comunicação das Legiões será complicada. Os produtores tomaram até o cuidado com o figurino da novela. As fardas dos truculentos e repressores “ditadores” não é a tradicional verde-oliva. Talvez a intenção seja denotar a “ficção”. Mas a confusão entre urutu e urubu será facilitada pelo enredo maniqueísta do romance anti-ditadura da tevê de Sílvio Santos.