MEMORIAL 31 DE MARÇO DE 1964

MEMORIAL 31 DE MARÇO DE 1964
Avião voa sobre a orla carioca em 31/03/2014, ostentando faixa com os seguintes dizeres: "PARABÉNS MILITARES - 31/MARÇO/64 - GRAÇAS A VOCÊS O BRASIL NÃO É CUBA". Clique na imagem acima para acessar MEMORIAL 31 DE MARÇO DE 1964 - uma seleção de artigos sobre o tema.

sexta-feira, 18 de março de 2011

Comentário nº 84 do coronel Gelio Fregapani: os minerais das reservas indígenas e o pré-sal


Comentário nº 84– 10 de janeiro de 2011

Gelio Fregapani

Assuntos: Nacionais e Cenário “russo”

Notícias nacionais

- Caso a hidrelétrica de Belo Monte (PA) não entre em operação na data prevista, os prejuízos poderão chegar a R$ 116 bilhões. o Ministério Público do Pará opõe-se a instalação da usina. Em apoio ao Ibama

- Os preços do petróleo estão entrando em uma zona perigosa para a economia global aproximando-se de US$ 100 o barril. Este é um alerta para os países consumidores de petróleo e para os produtores de petróleo..Alguma coisa acontecerá.”

- 45 suplentes ficarão no cargo por um mês ao custo de R$ 5 milhões; só um deles continuará no cargo em fevereiro. Mesmo com o Congresso em recesso neste mês, eles receberão salários e outros benefícios que somam R$ 107 mil para cada um

- Empresas brasileiras ligadas à tecnologia bélica e aeronáutica estão sendo vendidas para o exterior. A empresa israelense Elbit Systems adquiriu as brasileiras Aeroespacial e Defesa S/A e a Periscopio Equipamentos Optronicos S/A, localizadas em Duque de Caxias (RJ). A Elbit já era proprietária da Aeroeletrônica, empresa que trabalha com a Embraer na modernização dos caças F5 da FAB. O Brasil não tem proteção contra isso, ao contrário dos países desenvolvidos. Os executivos podem até continuarem brasileiros. O controle, no entanto, passa para o exterior.

A mais importante das empresas, a Aeroespacial e Defesa, se dedica não só à produção de material de defesa, quanto à engenharia de projeto multidisciplinar envolvendo ótica, mecânica fina, eletrônica e software. O PT proclama que os centros de decisão empresariais não poderiam ser transferidos para o exterior. Mas não se viu qualquer esforço para manter estas empresas sob controle nacional.


Cenário “russo para 2011 Prepara-se o Armageddon?

O cenário a seguir é um apanhado do publicado no Pravda. Ainda que ninguém possa prever com exatidão o futuro, me parece que, em linhas gerais, seja um cenário provável, pelo menos em parte. Devemos, no mínimo, nos prepararmos para essa eventualidade.

Em resumo, o periódico parte do princípio que os EUA e o Reino Unido não conseguirão evitar o colapso econômico e cortarão drasticamente aas importações. Isto causará forte depressão na China, que por sua vez deixará de importar matéria prima do Brasil, Austrália, Venezuela da própria Rússia e outros, que terão todos fortes desajustes econômicos, mas menores do que os países do mundo desenvolvido e dos que não tem auto-suficiência alimentar e energética. O comércio mundial será grandemente afetado. Todos países buscarão a auto-suficiência ou farão coligações autárquicas Haverá convulsões em todo o mundo, com migrações, genocídios e guerra no Oriente Médio e na Coréia. A geografia política será alterada. Muitas nações, especial mente na África, serão nações apenas no nome ou mesmo desaparecerão O império norte-americano declinará e, os próprios Estados unidos continentais, como todos países de grande extensão territorial sofrerão ameaças de secessão.

As Guerras prováveis e suas conseqüências - A primeira das guerras será entre a Coréia do Norte e a Coréia do Sul - É previsível a vitoria do Sul resultando na unificação. Os EUA serão forçados a intervir, apesar de seus problemas. Seul pode ser alvo atômico. A Rússia e a China não defenderão a Coréia do Norte, e se afastarão totalmente em caso de uso de artefato nuclear.

Uma guerra mais ampla terá inicio entre Israel e seus aliados (EUA e R. Unido) contra o Irã. Os bombardeios causarão imensos danos ao este último, mas marcará o declínio do Império Americano e forçará sua saída do Afganistão. Em auxílio ao Irã correrão o Hamas e a Turquia contra Israel com muita mortandade e pouco resultado. Aproveitando a oportunidade se formará uma coligação de países balcânicos de maioria ortodoxa e a Rússia para acertar as contas com a Turquia e aliados, contando com o apoio semi velado da OTAN e da China, resultando na queda dos governos islâmicos.

- Pode acontecer a retomada das Malvinas pela Argentina face o enfraquecimento do Reino Unido e ameaça de secessão nos EUA, além de revoluções e intervenções em muitas partes do mundo
Alguns países em particular

- Rússia : -Teremos (eles que estão falando) um ano difícil com a redução das importações da China. Ocorrerão grandes distúrbios e tumultos internos, sendo os principais apoiados pelos governos islâmicos que estarão incentivando a separação das nossas (deles) minorias islâmicas. Isto tende a nos conduzir a guerra.

EUA - Contra vontade será forçado a intervir para ajudas a Coréia do Sul. Seu colapso econômico, por si já não seria tranqüilo, mas aliado ao preço do petróleo após as hostilidades com o Irã causará forte descontentamento interno que, juntamente com o claro desmanche do México pode tender a secessão do Texas e mais outras regiões. O que é certo é que o colapso da sua economia é que desencadeará as grandes convulsões do ano no mundo e que o declínio de seu papel imperial é incontestável.

- México – Será um inferno. Lutarão entre si os comunistas do sul, o governo, as ganges de narcotraficantes, os islâmicos e os cidadãos americanos que lá investiram pesado. O México se desagregará. Não será surpresa se uma parte se unir a uma “República Texana” formando uma nova confederação

- Brasil – Terá, ao menos temporariamente, grandes problemas financeiros com o corte das importações da China, mas nada que se compare aos dos outros países.

- Israel – Não tem como evitar a guerra, agora que o Brasil e a Argentina reconhecem a Palestina como Estado independente, a não ser cedendo. Espera-se uma confrontação militar com o Irã e a Turquia. Será vitoriosa pela intervenção dos países balcânicos e Russia

- China – Enfrentará terríveis problemas internos com a interrupção das compras americanas e da perda do valor de suas reservas pela queda do dólar. Haverá desemprego, fome, distúrbios e revoltas, mas certamente conseguirá controlar a situação. Devido aos seus próprios problemas não dará apoio à Coréia do Norte.

- Cuba – Castro descubrirá que Deus existe e que ele tem sido um “bad boy”. Cuba se transformará em uma democracia nacionalista, mas não voltará a ser o bordel dos EUA

Há no jornal comentários sobre muitos outros países, mas que não tem, para nós, o mesmo interesse.

Meus comentários: Não creio que a China vá deixar milhões de sua gente morrer de fome sem espernear, naturalmente avançando, a qualquer custo, sobre as férteis terras do SE da Ásia. Naturalmente aproveitará do retraimento norte-americano para reincorporar Taiwan

Também não creio que os EUA e Reino Unido, necessitando de matérias- prima que não conseguem mais comprar, se conformarão e deixarão de usar a força para tomar o que precisarem. Certamente a OTAN, será sua sócia no empreendimento. Os alvos?Claro, a África e a América Latina. No que nos afeta, as mineralizadas reservas indígenas e o pré-sal

Preparemo-nos

Que Deus guarde a todos vocês

Gelio Fregapani