MEMORIAL 31 DE MARÇO DE 1964

MEMORIAL 31 DE MARÇO DE 1964
Avião voa sobre a orla carioca em 31/03/2014, ostentando faixa com os seguintes dizeres: "PARABÉNS MILITARES - 31/MARÇO/64 - GRAÇAS A VOCÊS O BRASIL NÃO É CUBA". Clique na imagem acima para acessar MEMORIAL 31 DE MARÇO DE 1964 - uma seleção de artigos sobre o tema.

quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

Lula defende a compra de outro avião, o Aerodilma

Airbus A319CJ FAB VC1A / Santos Dumont


O Globo - 01/12/2010


É humilhante fazer escala com avião, diz Lula


O presidente Lula defendeu a compra de outro avião presidencial, o Aerodilma. Para ele, "é uma vergonha" fazer escalas em viagens longas. "O Brasil não pode ser grande com um comportamento humilhante lá fora", disse.


Lula defende compra de novo avião para Dilma


Para presidente, é uma vergonha aeronave da Presidência ter de fazer várias escalas por falta de autonomia de voo Jailton de Carvalho ESTREITO (MA). O presidente Lula defendeu ontem a compra de um novo avião para a Presidência da República, que já está sendo apelidado de Aerodilma. A compra está sendo cogitada pelo Gabinete de Segurança Institucional. O novo modelo do avião, maior e mais caro, substituiria a atual aeronave, comprada por Lula no início de seu primeiro mandato e batizada de Aerolula. Lula afirmou que o presidente da República de uma potência emergente como o Brasil precisa de um avião oficial com mais autonomia de voo para fazer viagens de longa distância. - Acho que o Brasil precisa de um avião com maior autonomia para o presidente da República viajar - disse Lula, depois de visitar o canteiro de obras da usina hidrelétrica Estreito, na divisa entre Maranhão e Tocantins. O avião utilizado por ele tem 12 horas de autonomia de voo. Segundo Lula, isso é uma vergonha, porque o avião tem que fazer várias escalas em viagens de longa distância. Avião com auxiliares tem de fazer ainda mais escalas Por medida de segurança, o Aerolula sempre reabastece antes de completar o ciclo de 12 horas no ar. O Sucatão, avião utilizado pela equipe de apoio às viagens presidenciais, tem autonomia ainda menor. O avião não pode permanecer em voo por mais de seis horas. As restrições obrigam os auxiliares do presidente a fazer sucessivas escalas nas viagens internacionais. - O Brasil não pode ser um país grande do jeito que é e ter um comportamento humilhante lá fora, onde muitas vezes o Sucatão nem pode parar. Se o Brasil comprar um avião, compra orgulhosamente, sobretudo para encher o tanque com os nossos caças no ar, porque o Sucatão já está pra lá de Bagdá - disse o presidente. À vontade em meio à nova polêmica, Lula ironizou as críticas que recebeu quando, no início do primeiro mandato, aprovou a compra de novo avião, em substituição ao anterior, usado pelo ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. Para Lula, era como se o avião fosse comprado para uso exclusivo dele e não da Presidência da República. Hoje, os argumentos usados contra ele teriam perdido o sentido: - Acabou aquela bobagem do Aerolula. Fiquei até chateado porque agora vou deixar a Presidência e não vou levar o avião comigo. Vocês poderiam fazer uma campanha para o avião vir comigo.


Folha de S. Paulo - 01/12/2010


Brasil 'passa humilhação' com Aerolula, diz presidente


O presidente Lula defendeu a compra de novo avião presidencial para Dilma Rousseff. Lula disse que "o Brasil passa humilhação" porque a autonomia do atual Aerolula é limitada. A negociação, revelada pela Folha, avalia duas opções. O valor pode superar R$ 500 milhões, cinco vezes o do avião atual.


Brasil "passa humilhação" com Aerolula, diz presidente


Lula defende compra de novo avião para dar mais autonomia de voo a Dilma


Opções de aeronaves estudadas permitem ida até a Ásia sem paradas e podem custar até cinco vezes o valor da atual


IGOR GIELOWSECRETÁRIO DE REDAÇÃO


DA SUCURSAL DE BRASÍLIA BRENO COSTAENVIADO ESPECIAL A ESTREITO (MA)


O presidente Lula fez ontem uma defesa enfática da compra do Aerodilma, o novo avião que deverá substituir o Aerolula. "Não tem por que não comprar. Acabou aquela bobagem do Aerolula. Acho que o Brasil precisa de um avião com mais autonomia para o presidente."A negociação do avião foi revelada pela Folha anteontem. Há duas opções na mesa, que podem custar até mais de R$ 500 milhões, cinco vezes o custo do atual avião do presidente.Lula disse ontem no Maranhão que "o Brasil passa humilhação" porque a autonomia do Aerolula é limitada, impedindo voos sem escala a vários locais. As opções estudadas preveem ida até a Ásia sem as atuais duas paradas.O presidente confundiu o Aerolula, um moderno Airbus-319 executivo, com o antigo avião presidencial -o Boeing 707 conhecido como Sucatão, que ainda serve à FAB como avião-tanque."Você deveria perguntar para a imprensa que viajou num Sucatão para saber o que é uma viagem presidencial. O Brasil não pode ser um país grande do jeito que é, e ter um comportamento humilhante muitas vezes lá fora", disse.Lula quer fechar o negócio para evitar desgaste da presidente eleita, Dilma Rousseff, no episódio. Ela não se manifestou sobre a compra, mas sua equipe econômica adotou discurso da necessidade de corte de gastos.Não há verba orçamentária, mas o financiamento é de longo prazo e depende da aprovação de um projeto pelo Congresso.O presidente indicou que a escolha pode recair na compra de dois novos aviões de transporte e reabastecimento aéreo. Um deles viria com uma área VIP, e seria usado em voos intercontinentais.O consórcio europeu EADS já ofertou à FAB o Airbus-A330MRTT, um avião pelo qual a Austrália pagou R$ 516 milhões em 2008.Esse modelo poderia demorar até três anos para chegar, tempo que pode ser reduzido se forem oferecidos os aviões feitos para avaliação numa concorrência para aviões-tanques da Força Aérea americana. Esses dois A330 estão estocados.Outra opção em estudo é a compra direta de um Airbus-A340 executivo, um avião que pode custar até R$ 465 milhões em sua versão comercial mais cara.A vantagem é a entrega mais rápida, entre 12 e 18 meses, em média, se o aparelho for novo. Usado, viria mais rapidamente e mais barato.Na FAB, a torcida é que a escolha seja pelos aviões-tanque. Seja como for, se o Planalto decidir pelo A340, a compra dos aviões-tanque também deverá ocorrer.

O Estado de S. Paulo9 - 01/12/2010


Presidente critica Aerolula e pede avião melhor para Dilma


Leonencio Nossa - O Estado de S.Paulo


O presidente Lula defendeu a compra de um novo avião para as viagens da sucessora Dilma Rousseff. Em entrevista durante visita ao Maranhão, ele argumentou que a aeronave atual, um Airbus-319, não tem autonomia de voo para longos percursos. "Não tem por que não comprar"", disse.


Em entrevista no canteiro das obras da usina hidrelétrica de Estreito, na divisa do Maranhão com Tocantins, ele aproveitou para ironizar as críticas à decisão tomada no início de seu governo de adquirir o Airbus-319, batizado pela imprensa de Aerolula, que poderá, no próximo governo, ser substituído por um avião mais eficiente.


"Acabou aquela bobagem do Aerolula", disse. "Agora, estou chateado porque vou deixar a Presidência e não vou levar o avião comigo."


Ainda em tom de ironia, propôs uma campanha da imprensa para ficar com o Aerolula após deixar o governo. "Poderia fazer uma campanha e levar o avião comigo", disse. Ele avaliou que a autonomia de 12 horas de voo do Aerolula não atende à demanda das viagens mais longas da Presidência. "É uma vergonha ter um avião de apenas 12 horas de autonomia."

***


Site de leilão troca Aerolula por cinco hospitais e 12 penitenciáriasPaola Rossi - Publicado em 11.10.2006