MEMORIAL 31 DE MARÇO DE 1964

MEMORIAL 31 DE MARÇO DE 1964
Avião voa sobre a orla carioca em 31/03/2014, ostentando faixa com os seguintes dizeres: "PARABÉNS MILITARES - 31/MARÇO/64 - GRAÇAS A VOCÊS O BRASIL NÃO É CUBA". Clique na imagem acima para acessar MEMORIAL 31 DE MARÇO DE 1964 - uma seleção de artigos sobre o tema.

quinta-feira, 7 de outubro de 2010

Rússia entrega ao Brasil dossiê sobre Prestes

Folha de S. Paulo - 7/10/2010

Rússia entrega ao Brasil dossiê sobre Prestes

Arquivo Nacional receberá cópias de manuscritos, de artigos de jornais soviéticos e de fotografias do comunista

Filha de Prestes com Olga Benário, Anita Leocádia queria que documentos fossem para órgão presidido por ela

GRACILIANO ROCHA

DE PORTO ALEGRE

O governo russo vai entregar amanhã ao Brasil um conjunto de documentos inéditos sobre o líder comunista brasileiro Luiz Carlos Prestes (1898-1990).

São cópias de manuscritos de Prestes, de artigos de jornais soviéticos e de fotografias que serão encaminhadas ao Arquivo Nacional.

A maior parte deles é do período entre 1931 e 1934, quando Prestes viveu exilado na então União Soviética de Josef Stálin (1878-1953).

O teor dos arquivos não foi detalhado pelas autoridades russas. A liberação do material foi decidida durante uma reunião entre os presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Dmitri Medvedev.

A Folha apurou que Lula interveio pessoalmente no caso quando esteve em Moscou, em maio passado. Luiz Carlos Prestes Filho, um dos filhos do líder comunista, acompanhou o presidente em Moscou. Medvedev prometeu liberar o material, que integra o acervo do Arquivo Nacional Social e Político, sediado na capital russa.

Na sexta, o número 2 da diplomacia da Rússia, Andrey Denisov, vai entregar os documentos ao diretor do Arquivo Nacional, Jaime Antunes da Silva, em cerimônia no Itamaraty.



DISPUTA FAMILIAR

A destinação das cópias foi decidida somente ontem. O embaixador Serguey Pogóssovitch Akopov foi pressionado pelos herdeiros de Prestes, que travam disputa pelo destino dos documentos.

A viúva Maria do Carmo Ribeiro Prestes, com quem o líder comunista teve nove filhos, apelou para os arquivos serem encaminhados a uma instituição pública.

"Para que seja salvaguardado para o futuro, o melhor é abrigar no Arquivo Público Nacional, uma instituição do Estado brasileiro, e não uma instituição x ou y", disse a cientista política Ana Maria Prestes Rabelo, 32, neta de Prestes.

Já a historiadora Anita Leocádia Prestes, 73, filha do comunista com a alemã Olga Benário (1908-1942), reivindicou a entrega dos documentos ao Instituto Luiz Carlos Prestes, que ela preside.

Anita Leocádia é autora do livro "A Coluna Prestes" (Paz e Terra), sobre a marcha liderada por ele entre 1925 e 1927.

Em carta dirigida a Akopov em setembro, ela protestou em tom duro por não ter sido comunicada da entrega dos documentos e pediu que eles fossem encaminhados ao acervo do instituto.

"Não só sou filha de Luiz Carlos Prestes com Olga Benário Prestes como autora do único trabalho de pesquisa existente de caráter acadêmico sobre a Coluna Prestes [...] Sinto-me, portanto, no direito de reivindicar a documentação", diz ela, em trechos da carta.


ABRIGO DE STÁLIN

Após a Coluna, o então capitão Prestes, expoente do movimento tenentista, exilou-se na Bolívia. Pouco antes da Revolução de 30, voltou a Porto Alegre e recusou apoio a Getúlio Vargas no golpe que o levaria ao poder.

Viveu exilado na URSS na primeira metade da década de 1930. Retornou ao Brasil como enviado do Komintern (organização dos partidos comunistas) para articular a ANL (Aliança Nacional Libertadora) e lideraria o fracassado levante que se tornaria conhecido como Intentona Comunista (1935).