MEMORIAL 31 DE MARÇO DE 1964

MEMORIAL 31 DE MARÇO DE 1964
Avião voa sobre a orla carioca em 31/03/2014, ostentando faixa com os seguintes dizeres: "PARABÉNS MILITARES - 31/MARÇO/64 - GRAÇAS A VOCÊS O BRASIL NÃO É CUBA". Clique na imagem acima para acessar MEMORIAL 31 DE MARÇO DE 1964 - uma seleção de artigos sobre o tema.

segunda-feira, 25 de maio de 2009

O Estado de Direito Petista - em 3 partes

O ESTADO DE “DIREITO” PETISTA

O GOLPE

I

Geraldo Almendra

“O Estado de direito não é apenas uma norma legal, mas sim uma norma que diz respeito àquilo que a lei deve ser: uma doutrina metalegal, ou o ideal político. O primeiro atributo que distingue uma sociedade livre é que cada indivíduo tem uma esfera privada reconhecida, claramente distinta da esfera pública, e que o cidadão privado deve obedecer somente às normas que são igualmente aplicáveis a todos”. (Friedrich Hayek)

Vamos repetir de uma forma alternativa a cronologia do golpe do petismo que irá se configurar em 2010, através dos instrumentos revolucionários fundamentados no leninismo corrupto e prevaricador, para obter o domínio perpétuo do poder público com a Formação de um Estado de “Direito” Corrupto-Petista dominado e subordinado a uma estrutura de poder que mais tarde se transformaria no esteio canalha do movimento petista de domínio da sociedade.

Tudo começa o maior erro dos militares que foi entregar, prematuramente, o poder às oligarquias políticas prostituídas que se camuflavam de arautos da abertura democrática, mas que não passavam de hordas de bandidos disfarçados de terno e gravata.

Começava o maior golpe contra o Estado de Direito Democrático já realizado em um país de uma dimensão geopolítica estratégica perfeita para servir de depositário dos sonhos dos socialistas que deixaram para trás milhões de cidadãos assassinados e nações destruídas pelas burocracias corruptas e bandoleiras que caracterizam os Estados dominados pela corrupção e pelo corporativismo sórdido, essência do poder do socialismo genocida.

Enquanto a esquerda apodrecida já se espalhava estrategicamente nas instituições públicas, nos comuno-sindicatos e nas organizações estudantis, a maior revolução educacional e cultural do país tomava forma: a Universidade Pública da Corrupção e do Corporativismo que formaria as turmas que serviria de suporte – pelos seus sucessos e insucessos - aos desgovernos civis calhordas e ao pior deles, o desgoverno do PT.

Para não haver risco de erro grosseiro no mentiroso projeto de abertura democrática, os desgovernos civis, enquanto praticavam sucessivos atos de lesa-pátria e roubo dos contribuintes, cuidavam para a destruição moral e operacional das Forças Armadas, pois esse sempre foi, e continua sendo seu maior temor de ver inacabado seu projeto de poder perpétuo. Essa gente sórdida deve estar passando noites sem dormir com medo de acordarem e verem um fuzil apontado para suas cabeças.

O que mais nos surpreendeu foi acompanharmos a aliança espúria dos esclarecidos patifes com o projeto de destruição da democracia, enquanto a falência da cultura e da educação, intencionalmente provocada pelos desgovernos civis, dominava mais de 70 % da população formando uma massa de ignorantes que, na qualidade de um imbecil coletivo, mais tarde, iria servir de suporte para o golpe do petismo, enquanto eram descaradamente roubados e feitos de escravos de um Estado assistencialista comprador de votos através de sua estrutura corrupta, prevaricadora e corporativista sórdida.

O paradigma de que toda sociedade tem o governo que merece precisa ser desqualificado, pois a massa dos desfavorecidos, hoje maiores eleitores do mais sórdido dos líderes políticos de nossa história e dos bandidos que tomaram conta do Congresso Nacional, não teve o embasamento educacional para distinguir de forma crítica os resultados de uma traição tão metodicamente estruturada pela sociedade dos esclarecidos patifes, muito mais por motivos criminosos de domínio do poder pelo poder, do que uma luta por uma ideologia política alternativa e com honestidade de propósitos para trazer à sociedade a verdadeira perspectiva de uma democracia de fato.

Nunca os desgovernos civis realmente pensaram em uma alternativa para melhorar o sistema capitalista com o domínio dos seus atos através de uma estrutura legal com a inteligência de tirar o máximo benefício para a sociedade da predominância do mérito e do empreendedorismo em um ambiente dominado pela iniciativa privada.

A preocupação dos patifes esclarecidos da esquerda apodrecida sempre foi fomentar a dualidade entre o socialismo revolucionário – assassino, corrupto e corporativista - e o capitalismo “selvagem” que trouxe ao mundo décadas de desenvolvimento auto sustentado. É fácil reconhecer as descaradas intenções dos canalhas de conseguir domínio do poder público por uma horda de bandidos eleitos pelo imbecil coletivo sob o pretexto de um sistema socialista que iria resolver os problemas do capitalismo “selvagem”, mas gerador de desenvolvimento econômico e social.

Esses calhordas em nenhum momento avaliaram de forma honesta que os defeitos do desenvolvimento capitalista tiveram e tem origem dentro do próprio poder público corrupto e corruptor que não cumpre o seu papel de gestor honesto das relações econômicas e sociais.

O verdadeiro objetivo era transformar a mentira socialista em um corruptocracia para sustentar os sonhos revolucionários de dominar o país com uma ditadura de esquerda para o benefício de uma burguesia corrupta e corporativista, pública e privada.

Os canalhas esclarecidos do pasquim, e de outras comunidades de subornados, estão felizes na hibernação de seu silêncio, com a destruição moral do país, todos curtindo a doce vida, usufruto das sinecuras garantidas pelo petismo ou pelas indenizações milionárias ou pensões vitalícias pagas pelos otários e palhaços dos contribuintes.

Nossa esperança é que o helenismo se transforme em uma realidade de luta contra os canalhas, unindo civis e militares honestos e patriotas, para colocarmos esses bandidos que dominam o poder público mais corrupto e corporativista de nossa história no lugar que merecem: na prisão.

Geraldo Almendra

20/maio/2009

***

O ESTADO DE “DIREITO” PETISTA

O GOLPE

II

O terceiro mandato consecutivo para Luiz Inácio Lula da Silva está na ordem do dia, a última invenção da esperteza latino-americana: a ditadura constitucional. Quem pensou que democracia era à prova de fraudes, tomou bonde errado: já está se perpetuando legalmente no poder Hugo Chávez (Venezuela), Evo Morales (Bolívia) e Rafael Corrêa (Equador). Na fila, o nosso Lula e o sultão paraguaio Fernando Lugo. (JAYME COPSTEIN)

Traduzindo: Estado de Direito Petista = Ditadura Constitucional comandada pelo poder público bandido dominado pelo desgoverno do crime organizado.

O movimento assistencialista-clientelista do petismo recrudesceu de forma incontrolável.

O alcance dos programas sociais compradores de votos e pagos pelos contribuintes, vai atingir qualquer um que se apresente “menos favorecido”, ou seja, até 2010 deve atingir mais de 50 milhões de cidadãos direta ou indiretamente.

Já temos também em andamento no país o maior programa de divisão de uma sociedade em classes de raça, cor e renda, para serem cotistas privilegiados da divisão do bolo de mais de cinco meses de trabalho por ano daqueles que sustentam esse desgoverno espúrio, os palhaços, otários e imbecis dos contribuintes.

Em breve as identidades terão a qualificação racial e o “status” social de cada cidadão. O exercício da cidadania vai passar a depender da qualificação que o Estado carimbar em cada contribuinte, petista ou não petista. Hitler sentiria muita inveja de tanta competência.

Pobres, desempregados, viciados em drogas, moradores de guetos, sem terra, vagabundos, espertalhões, ladrões de galinha, moradores de rua, bandidos arrependidos, etc, todos foram colocados no mesmo saco da canalhice do assistencialismo clientelista comprador de votos. Venda o seu voto e ganhe uma bolsa “qualquer coisa” do governo.

Enquanto isso policiais civis, policiais militares, professores públicos, médicos, entre outras funções sociais de maior importância ganham salários de fome, seguindo o caminho do abandono de suas profissões ou, simplesmente, as exercerem sem qualidade ou interesse, apenas para “marcar o ponto”, achando que está trabalhando demais para ganhar uma miséria de salário. Se for petista ainda vai ter que pagar o dízimo para os canalhas.

Em contrapartida, viva a Polícia Federal, a mais bem paga do país, em troca de aceitar virar Polícia Política do Estado Bandido sob o comando de um comunista, e, também, viva a academia, que vendeu a alma ao diabo em troca de sinecuras e mordomias, se transformando na “brilhante” sociedade ungermangabeira, com direito a comprar lixeiras de R$ 1000,00.

Falta pouco para que o desgoverno do crime organizado comece a distribuir bolsas alimentação para cães e gatos. Dessa forma seus donos se sentirão motivados a vender seus votos, dando mais uma garantia para a eleição de um cúmplice ou do próprio Lula em 2010. Leve uma foto do seu animal de estimação e ganhe um cartão bolsa alimentação do desgoverno dos pobres! Não duvidem, para garantir o projeto de poder perpétuo vender a mãe virou escambo dos canalhas.

O governo do crime organizado não oferece trabalho, remuneração digna, educação e cultura, mas prefere criar a maior massa de dependentes do Estado de nossa história fazendo cada vez mais o contribuinte de imbecil, otário e palhaço do Circo do Retirante Pinóquio.

Motivo desses movimentos e da tragédia moral que domina o país? – Preparação final do golpe de 2010.

A situação do projeto político de poder perpétuo do petismo chega a um impasse com a desqualificação física e eleitoral da candidatura da terrorista Estela para assumir a presidência nas próximas eleições presidenciais. A jogada seria a Estela garantir a manutenção da sujeira debaixo do tapete até a volta do sapo barbudo etílico em 2014, cheio de glória, bafo de cachaça, e dando os vexames de sempre.

O balão de ensaio do Retirante Pinóquio explodiu, pois os esclarecidos, inclusive os patifes, não vão querer bancar essa parada bandoleira. Todos já sabem que o preço mais tarde é ficar em pé diante de uma cova coletiva ou na pontaria de um fuzil revolucionário.

O problema mais grave que tira o sono dos petralhas é que a malha da corrupção e do corporativismo dentro do poder público já tem um movimento autônomo, obrigando uma realimentação de jogos sujos de poder para não permitir que se quebre o silêncio dos arquivos vivos das maracutáias do petismo e do desgoverno anterior, que possam colocar todos no mesmo barco da putrefação moral que assola o país, e alinhados no mesmo paredão da vergonha dentro de uma prisão ou dentro de um quartel.

Vai ser difícil a sociedade engolir mais assassinatos “políticos” - tipo Daniel e os outros sete - e o jeito é negociar a partilha do roubo dos contribuintes satisfazendo as ambições cada vez maiores dos potenciais detonadores do sonho do Estado de “Direito” Petista – Ditadura Constitucional –, entre eles os beneficiados por indenizações milionárias e pensões vitalícias para ficaram com a boca bem fechada e não atrapalhar quem está “trabalhando”.

O líder etílico simplesmente não pode permitir que ninguém das “gangs dos quarentas” ou seus cúmplices, coloquem a boca no trombone e façam desabar o castelo de cartas que abriga milhares de meliantes protetores das fundações espúrias do poder público bandido estruturado petismo. Aos poucos os Tribunais Superiores, na calada da noite, vão formalizando uma inocência para os culpados.

Todos estão pisando em ovos diante do reconhecimento da sociedade do caráter absolutamente marginal do Congresso Nacional e do apodrecimento moral dos poderes da República. Apesar de anestesiados pela covardia apátrida, os esclarecidos, patifes ou não, já entenderam que estamos nas mãos de um desgoverno do crime organizado.

A corrupção e o corporativismo dentro do Poder Judiciário estão no seu limite, pois no momento em que for confirmada a falência da Justiça – mesmo tardiamente -, pela parcela mais esclarecida da sociedade ainda não subornada, civis e militares se unirão para estancar os atos do poder público bandido. Esse é o grande pavor da canalha da corrupção e da prevaricação. Já estão começando a sonhar com um fuzil apontado na sua direção ou em ver o sol nascer quadrado durante muito tempo, se seus exércitos paramilitares dos movimentos sociais não tiverem balas suficientes para conter a revolta dos que se unirem para salvar o país de ser dominado pelo Estado Petista de Direito – a Ditadura Constitucional comandada pelo poder público bandido.

Que tem... no desgoverno do crime organizado, tem medo do medo dos esclarecidos acabar, e da hibernação das casernas abrir suas portas para a luta pelo Estado de Direito Democrático, destruído pelo golpe da “abertura democrática” depositária dos ovos da serpente etílica para que o petismo possa estar conduzindo o país para a desgraça do socialismo genocida.

Geraldo Almendra

21/maio/2009

***

O ESTADO DE “DIREITO” PETISTA

III

JÁ ESTÁ NAS RUAS E NOS CAMPOS: O GOLPE DE UMA DITADURA CONSTITUCIONAL PARA A TOMADA DO PODER PELA CORRUPTOCRACIA DE UMA ESQUERDA TERRORISTA E APODRECIDA.

O movimento de “proteção” à Petrobrás é mais uma clara demonstração de traição ao país pela geração da abertura democrática falsificada pelas oligarquias políticas prostituídas e seus cúmplices, que fizeram do poder público e das empresas estatais, representantes do crime organizado da corrupção, e da prevaricação, tudo bancado pelo descarado roubo dos contribuintes.

A estrutura do poder público bandido, incluindo suas empresas estatais, se transformou em depositário de meliantes exploradores dos cofres públicos. Essa máfia sempre está lutando para evitar perda das prerrogativas de explorar os contribuintes, “direitos” garantidos pelos desgovernos civis com o apoio de um Congresso que já virou um bunker de bandidos, e de um Poder Judiciário que já permite que as folhas da Constituição e dos códigos legais sejam jogados na latrina da degeneração moral da sociedade.

A burguesia que trabalha de forma lícita no mundo da iniciativa privada já está dominada pela burguesia que explora a sociedade de forma ilícita e imoral.

Quem não conhece a colméia - enquanto uns trabalham outros fazem cera -, aquela fantasiada de edifício sede, situada no triângulo das bermudas da corrupção e do corporativismo, onde se suga a moralidade e o patriotismo de quem entra para viver nas suas áreas de influência?

Não estamos falando é claro dos profissionais sérios que trabalham naquela ilha da fantasia da Petrobrás que possui as melhores remunerações e o melhor sistema de aposentadoria do país para os concursados. De qualquer forma o padrão do “cala a boca” destrói qualquer sintoma de moralidade e cidadania.

O capitalismo vem sendo destruído pelo poder público corrupto, corruptor, e corporativista sórdido, intermediário “aceito” pela iniciativa privada como sócio dos seus criminosos desvios de conduta em troca da impunidade e da permissividade da criminalização social e econômica das relações públicas e privadas, tudo em benefício da canalha da comunidade de esclarecidos patifes e apátridas.

Essa criminalização é abafada pelo poder Judiciário mais corrupto de nossa história, naquilo que interessa aos poderes constituídos representantes das oligarquias políticas prostituídas e da nova burguesia do petismo.

O capitalismo está agonizando pelo cerco que sofre da burocracia que fez do poder público e das empresas estatais o sonho das sinecuras mais bem remuneradas do planeta, não pelo mérito, pelo valor das funções sociais, e pelo empreendedorismo, necessariamente, mas pela capacidade de subornar as consciências mais críticas que deveriam lutar contra as sinecuras e uma estrutura de geração de empregos públicos desnecessários e compradores de votos.

É absolutamente conveniente para o desgoverno do crime organizado que se permita que o poder público e as empresas estatais sirvam de depositários de milhares de vagas de trabalho para os militantes da base do petismo formalizando a criminosa partidarização do poder público por um único partido.

O sonho de fazer da Vale uma Petrobrás já tem data marcada para começar: após o golpe de 2010. A parte “jurídica” já está em fase final de preparação.

A Petrobrás sempre foi, mesmo nos governos militares, um centro de poder paralelo que durante os desgovernos civis – corruptos e prevaricadores – foi transformada em um símbolo empresarial viciado por agasalhar dentro de sua estrutura as sinecuras necessárias para subornar uma parcela dos esclarecidos patifes, que sempre ajudaram a transformar a mentira da abertura democrática na semente hedionda de um projeto de uma Ditadura Constitucional para comandar o país.

Em nenhum desgoverno civil ninguém ousou ou teve sucesso em desafiar a burocracia da Petrobrás – nem mesmo a terrorista Estela. A maior empresa do país se notabiliza por ter uma estrutura organizacional que sempre deu a volta por cima quando desafiada, sempre se mantendo como pólo de poder paralelo aos podres poderes da República que se partidarizaram totalmente para servir aos corruptos e corporativistas, e não para cumprir com suas obrigações Constitucionais e sociais.

O crime organizado dentro do poder público não tem mais controle. Apenas troca de chefe e beneficiários.

“Do câncer à Petrobras, nada escapa do apelo eleitoral. E o que se fez foi campanha. Do alto do caminhão de som, sindicalistas gritavam: "Sai, seu tucano, sai, ladrão. Larga a Petrobras, que é patrimônio da nação." Ou ainda: "Sai, José Serra". Quem comandava a festa? O Sindipetro-RJ (Sindicato dos Petroleiros). Um dos diretores da entidade estava no veículo. É a união de partido, sindicato e governo para tomar o lugar da sociedade e das instituições. É assim que eles funcionam. A inacreditável UNE (União Nacional dos Estudantes) também estava lá. Toda essa gente é alimentada com o leite de pata do dinheiro oficial.” (R. A.)

O cerco protetor à Petrobrás se apresenta como mais um cerco aos últimos suspiros de nossos sonhos de vivermos em uma verdadeira democracia marcada pelo mérito e pelo empreendedorismo privado, e não em uma corruptocracia em que podres poderes de uma República e suas empresas estatais se unem para dar suporte à formação de uma Ditadura Constitucional do Petismo no país.

Geraldo Almendra

22/maio/2009

Sobre ovelhas, lobos e cães pastores

Em homenagem ao Dia da INFANTARIA, remeto a todos os "cães pastores", os quais pertencem a todas armas e especialidades das FFAA e dos órgãos de segurança (sem exclusividade da Infantaria, só aproveitando a data), bem como a muitos civis patriotas.

Abrs.

Cel Adonai


SOBRE OVELHAS, LOBOS e CÃES PASTORES

por Dave Grossman

"A honra nunca fica velha, quanto maior a nossa idade, a honra mais alegra nosso coração. Digo-o, porque a honra é a meta final das causas nobres e dignas que mereçam serem defendidas, mesmo que venham a ter um custo elevado. No nosso tempo, a honra pode significar desaprovação social, desprezo público, dificuldades, perseguição, ou como sempre, até mesmo a própria morte.

Mas as questões permanecem: O que vale a pena ser defendido? Pelo que vale a pena morrer? Para que serve a vida?"
William J. Bennett

Um veterano do Vietnã, um velho coronel da reserva, certa vez me disse: "A maioria das pessoas em nossa sociedade são ovelhas. Eles são criaturas produtivas, gentis, amáveis que só machucam umas às outras por acidente". Isso é verdade. Lembre que a taxa de assassinatos é de seis por 100.000, por ano, e taxa de agressões sérias é de quatro por 1000, por ano. O que isso significa, é que a esmagadora maioria dos norte-americanos não são inclinados a machucarem uns aos outros.

Algumas estimativas dizem que dois milhões de americanos são vítimas de crimes violentos todo ano. Um número trágico, assustador, talvez um recorde em matéria de crimes violentos. Mas existem quase 300 milhões de americanos, o que significa que as chances de ser vítima de um crime violento ainda é consideravelmente menor que uma em cem, em qualquer ano. Ainda, como muitos dos crimes violentos são praticados pelas mesmas pessoas, o número real de cidadãos violentos é consideravelmente menor que dois milhões.

Há um paradoxo aí, e devemos pegar ambos os lados da situação: Nós podemos estar vivendo a época mais violenta da história, mas a violência ainda é surpreendentemente rara. Isso é porque a maioria dos cidadãos são pessoas gentis e decentes que não são capazes de machucarem umas às outras, exceto por acidente ou sob provocação extrema. Elas são ovelhas.

Eu não quero dizer nada negativo quando as chamo de ovelhas. Para mim a situação é como a de um ovo de passarinho. Na parte de dentro ele é gosmento e macio, mas algum dia ele se transformará em algo maravilhoso. Mas o ovo não pode sobreviver sem sua casca dura. Policiais, soldados e outros guerreiros são como essa casca, e algum dia a civilização que eles protegem tornar-se-á algo maravilhoso. Por enquanto, eles precisam de guerreiros para protegê-los dos predadores.

"E então há os lobos", disse o velho veterano de guerra, "e os lobos alimentam-se das ovelhas sem perdão". Você acredita que há lobos lá fora que irão se alimentar do rebanho sem perdão? É bom que você acredite. Há homens perversos nesse mundo que são capazes de coisas perversas. No instante em que você esquece disso, ou finge que isso não é verdade, você se torna uma ovelha. Não há segurança na negação.

"E então há os cães pastores", ele continuou, "e eu sou um cão pastor. Eu vivo para proteger o rebanho e confrontar o lobo". Ou, como está escrito em uma placa de uma Delegacia de Polícia na Califórnia: "Nós só intimidamos aqueles que intimidam os outros".

Se você não tem capacidade para a violência, então você é um cidadão saudável e produtivo: uma ovelha.

Se você tem capacidade para a violência e não tem empatia por seus concidadãos, então você é um sociopata agressivo, um lobo. Mas e se você tem capacidade para a violência e um amor profundo por seus concidadãos? Então você é um cão pastor, um guerreiro, alguém que segue os passos dos heróis. Alguém que pode caminhar no coração da escuridão, dentro da universal fobia humana e sair ileso.


O dom de agressão

"O que se passa à sua volta... é pequeno se comparado ao que se passa dentro de você".

Ralph Waldo Emerson

A todos foi dado o dom da vida. Algumas pessoas têm um dom para a ciência e algumas outras têm o dom para as artes. Aos guerreiros foi dado o dom da agressão. Eles não podem fazer uso incorreto desse dom, como um médico não pode empregar de modo errado sua arte de curar, mas anseiam pela oportunidade de usar seu dom para poderem ajudar aos outros. Estas pessoas, os que foram agraciados com o dom da agressão e amor pelos outros, são os nossos cães pastores. São os nossos guerreiros.

Nós sabemos que as ovelhas vivem em negação da realidade, e isso é o que as tornam ovelhas. Elas não querem acreditar que existe o mal no mundo. Eles podem aceitar o fato de que incêndios podem acontecer, e é por isso que elas querem extintores, sprinklers, alarmes contra incêndio e saídas de emergência na escola de suas crianças. Mas muitos deles ficaram chocados com a idéia de colocar um policial armado na escola de seus filhos. Nossos filhos têm dezenas de vezes mais probabilidades de serem mortos, e milhares de vezes mais probabilidades de serem gravemente feridos, pela violência escolar do que por incêndios na escola, mas a única resposta das ovelhas para a possibilidade de violência é a negação. A idéia de que alguém possa vir a matar ou prejudicar os seus filhos é muito dura, então elas escolhem o caminho da negação.

As ovelhas geralmente não gostam dos cães pastores. Eles se parecem muito com os lobos. Eles têm dentes afiados e a capacidade para a violência. A diferença, porém, é que os cães pastores não devem, não podem e não irão nunca prejudicar as ovelhas. Qualquer cão de pastor que intencionalmente maltratar uma ovelhinha será punido e removido. O mundo não pode funcionar de outra forma, pelo menos não em uma democracia representativa ou uma república como a nossa (EUA).

Ainda assim, os cães pastores incomodam as ovelhas. Eles são uma lembrança constante que há lobos na terra. Elas preferem que eles não lhes digam para onde ir, não lhes dêem multas de trânsito, ou permanecessem em nossos aeroportos com uniformes camuflados e portando um M-16. As ovelhas prefeririam que os cães pastores guardassem suas garras e dentes, se pintassem de branco e dissessem: "Béé".

Até que o lobo aparece. Depois, todo o rebanho tenta se esconder atrás de um cão pastor solitário. Como disse KipIing no seu poema sobre "Tommy" o soldado britânico:

While it's Tommy this, an' Tommy that, an' "Tommy, fall be'ind,"
But it's "Please to walk in front, sir," when there's trouble in the wind,
There's trouble in the wind, my boys, there's trouble in the wind,
O it's "Please to walk in front, sir," when there's trouble in the wind.


Os estudantes, as vítimas, na escola de Columbine eram adolescentes, grandes e durões. Sob circunstâncias habituais, elas nunca perderiam seu tempo para falar algo com um policial. Elas não eram crianças ruins, elas simplesmente não teriam nada a dizer a um policial. Quando a escola estava sob ataque, no entanto, e as unidades da SWAT estavam entrando nas salas e corredores, os policiais tinham praticamente que arrancar os adolescentes que se agarravam às suas pernas, chorando. É assim que as ovelhinhas se sentem quando a respeito de seus cães pastores quando o lobo está na porta.

Olhe o que aconteceu depois do 11 de Setembro, quando o lobo bateu forte na porta. Lembram-se de como a América, mais do que nunca, sentiu-se diferente a respeito de seus policiais e militares? Lembram-se de quantas vezes ouviu-se a palavra "herói"?

Entendam que não há nada moralmente superior em ser um cão pastor; é apenas aquilo que você escolhe ser. Entendam ainda que um cão pastor é uma criatura esquisita. Ele está sempre farejando o perímetro, latindo para coisas que fazem barulho durante a noite, e esperando ansiosamente por uma batalha. Os cães pastores jovens anseiam por uma batalha, melhor dizendo. Os cães pastores velhos são mais espertos, mas ao ouvir o som das armas e perceberem que são necessários eles se movem imediatamente, junto com os jovens.

É aqui que as ovelhas e cães pastores pensam diferentes. A ovelha faz de conta que o lobo nunca virá, mas o cão pastor vive por aquele dia. Depois dos ataques de 11 de Setembro, a maior parte das ovelhas, isto é, a maioria dos cidadãos na América disse "Graças a Deus que eu não estava em um daqueles aviões". Os cães pastores, os guerreiros, disseram, "Meu Deus, eu gostaria de ter estado em um daqueles aviões. Talvez eu pudesse ter feito a diferença". Quando você está verdadeiramente transformado em um guerreiro, você quer estar lá. Você quer tentar fazer a diferença.

Não há nada de moralmente superior sobre o cão pastor, o guerreiro, mas ele leva vantagem em uma coisa. Apenas uma. E essa vantagem é a de que ele é capaz de sobreviver em um ambiente ou situação que destrói 98% da população.

Houve uma pesquisa alguns anos atrás com indivíduos condenados por crimes violentos. Esses presos estavam encarcerados por sérios e predatórios atos de violência: Assaltos, homicídios e assassinatos de policias. A grande maioria disse que escolhia suas vítimas pela linguagem corporal: andar desleixado, comportamento passivo e falta de atenção ao ambiente. Eles escolhiam suas vítimas como os grandes felinos fazem na África, quando eles selecionam aquele que parece menos capaz de se defender.

Algumas pessoas parecem destinadas a serem ovelhas e outras parecem ser geneticamente escolhidas para serem lobos ou cães pastores. Mas eu acredito que a maior parte das pessoas pode escolher qual dos dois eles querem ser, e eu fico orgulhoso ao dizer que mais e mais americanos estão escolhendo serem cães pastores.

Sete meses depois do ataque de 11 de Setembro, Todd Beamer foi homenageado postumamente em sua cidade natal, Cranbury, New Jersey. Todd, como vocês se lembram, era o homem no vôo 93, sobre a Pensilvânia, que ligou de seu celular para alertar um operador da United Airlines sobre o seqüestro. Quando ele soube que outros três aviões haviam sido usados como armas, Todd largou o telefone e disse as palavras "let's roll" o que as autoridades acreditam que tenha sido um sinal para os outros passageiros para confrontar os seqüestradores. Em uma hora, uma transformação ocorreu entre os passageiros - atletas, homens de negócios e pais - de ovelhas para cães pastores e juntos eles combateram os lobos, salvando um número indeterminado de vidas no chão.


"Não há salvação para o homem honesto, a não ser esperar todo o mal possível dos homens ruins".
Edmund Burke


Aqui é o ponto que eu gosto de enfatizar, especialmente para os milhares de policiais e soldados para os quais falo todo ano. Na natureza, as ovelhas, as ovelhas de verdade, nascem assim. Cães pastores nascem assim, bem como os lobos. Eles não têm uma chance. Mas você não é uma criatura. Você é um ser humano, e como tal pode ser o que quiser. É uma decisão moral consciente.

Se você quer ser uma ovelha, então você pode ser uma ovelha e está tudo bem, mas você deve entender o preço a pagar. Quando o lobo vier, você e as pessoas que você ama morrerão se não houver um policial por perto para protegê-los. Se você quer ser um lobo, tudo bem, mas os cães pastores o caçarão e você não terá nunca descanso, segurança, confiança ou amor. Mas se você quiser ser um cão pastor andar no caminho do guerreiro, então você deve tomar uma decisão consciente diária de dedicar-se, equipar-se e preparar-se para aquele momento tóxico, corrosivo, quando o lobo vem bater em sua porta.

Quantos policiais, por exemplo, levam armas para a igreja? Elas estão bem escondidas em coldres de tornozelo, coldres de ombro, dentro dos cintos ou nas costas. A qualquer hora em que você estiver no culto ou na missa, há uma boa chance que um policial na sua congregação esteja armado. Você nunca saberia se havia ou não um indivíduo assim em seu local de adoração, até que o lobo aparece para massacrar você e as pessoas que você ama.

Eu estava treinando um grupo de policiais no Texas e, durante o intervalo, um policial perguntou a seu amigo se ele levava a arma para a igreja. O outro respondeu "Eu nunca vou desarmado à igreja". Eu perguntei porque ele tinha uma opinião tão firme a esse respeito, e ele me contou a respeito de um policial que ele conhecia que estava em um massacre em uma igreja em Fort Worth, Texas, em 1999. Nesse incidente, uma pessoa desequilibrada mentalmente entrou na igreja e abriu fogo, matando quatorze pessoas. Ele disse que o policial acreditava que ele podia ter salvado todas as vidas naquele dia se ele estivesse carregando sua arma. Seu próprio filho foi atingido, e tudo o que ele pôde fazer foi atirar-se sobre o corpo do garoto e esperar a morte. Aquele policial me olhou nos olhos e disse: "Você tem idéia do quão difícil é viver consigo mesmo depois disso?"

Alguns ficariam horrorizados se soubessem que esse policial estava na igreja armado. Eles o chamariam de paranóico e provavelmente o admoestariam. Ainda assim, esses mesmo indivíduos ficariam enfurecidos e pediriam que "cabeças rolassem" se descobrissem os air bags de seus carros estavam defeituosos, ou que os extintores de incêndio nas escolas de seus filhos não funcionavam. Eles podem aceitar o fato que fogo e acidentes de trânsito podem acontecer e que devem haver medidas de segurança contra eles.

A única resposta deles ao lobo, no entanto, é a negação, e, freqüentemente, sua única resposta ao cão pastor é a chacota e o desdém. Mas o cão pastor pergunta silenciosamente a si mesmo "Você tem idéia do quão duro seria viver consigo mesmo se seus entes queridos fossem atacados e mortos, e você ficasse ali impotente porque está despreparado para aquele dia?"

O guerreiro deve remover a negação de seu pensamento. O instrutor Bob Lindsey, famoso na área de policiamento, diz que guerreiros precisam praticar pensando: "quando/então", não "se/quando". Ao invés de dizer, "Se isso acontecer, é quando eu vou agir", o guerreiro diz, "Quando isso acontecer, então eu vou estar pronto".

É negação que transforma as pessoas em ovelhas. Ovelhas são psicologicamente destruídas pelo combate porque sua única defesa é a negação, o que é contraproducente e destrutivo, resultando em medo, impotência e horror quando o lobo aparece.

A negação mata você duas vezes. Mata uma, no momento da verdade, quando você não está fisicamente preparado: você não trouxe sua arma, não treinou. Sua única defesa era o pensamento positivo. Esperança não é uma estratégia. A negação te mata uma segunda vez porque mesmo que você sobreviva fisicamente, você fica psicologicamente destroçado pelo seu medo, impotência e horror na hora da verdade.

Chuck Yeager, piloto de testes e primeiro homem a voar mais rápido do que a velocidade do som, sabia que poderia morrer. Mas para ele não havia a negação. Ele não se permitia o luxo da negação. Esta aceitação da realidade pode causar medo, mas este medo saudável, se controlado é o que irá mantê-lo vivo:


"Eu estava sempre com medo de morrer. Sempre. Era o meu medo que me fazia aprender tudo o que eu podia sobre o meu avião e o meu equipamento de emergência, que me manteve voando e respeitando minha máquina e sempre alerta na cabina".
Brigadeiro-General Chuck Yeager


Gavin de Becker coloca dessa maneira em "Fear Less", seu soberbo livro escrito após o 11 de Setembro, leitura requerida para qualquer um tentando entender a atual situação global: "... A negação pode ser sedutora, mas ela tem um efeito colateral insidioso. Apesar de toda a paz de espírito que aqueles que negam a realidade supostamente alcançam por dizerem que as coisas não são tão sérias assim, a queda que eles sofrem quando ficam cara a cara com a violência é muito mais perturbadora".

A negação é uma situação de "poupe agora pague mais tarde", uma enganação, um contrato escrito só em letras miúdas. Em longo prazo, a pessoa que nega acaba conhecendo a verdade em algum nível.

Assim, o guerreiro deve lutar para enfrentar a negação em todos os aspectos de sua vida, e preparar-se para o dia em que o "Mal" chegará.

Se você é um guerreiro que é legalmente autorizado a carregar uma arma e você sai sem levar essa arma, então você se transforma em uma ovelha, fingindo que o homem mau não virá hoje. Ninguém pode estar ligado 24 horas por dia, 7 dias por semana, a vida inteira. Todos precisam de tempo de repouso. Mas se você está autorizado a portar uma arma e você sai sem ela, respire fundo e diga para si mesmo:

"BÉÉÉÉÉÉÉ..."

Essa história de ser uma ovelha ou um cão pastor não é uma questão de sim ou não. Não é um tudo ou nada. É uma questão de degraus, um continuum. De um lado está uma desprezível ovelha com a cabeça totalmente enfiada na terra, e no outro lado está o guerreiro completo. Poucas pessoas existem que estão completamente em um lado ou outro. A maioria de nós vive no meio termo. Desde 11 de Setembro de 2001, quase todos na América deram um passo acima nesse continuum, distanciando-se da negação. A ovelha deu alguns passos na direção de aceitar e apreciar seus guerreiros, e os guerreiros começaram a tratar seu trabalho com mais seriedade. O grau para o qual você se move nesse continuum, para longe da "ovelhice" e da negação, é o grau no qual você estará preparado para defender-se e a seus entes queridos, fisicamente e psicologicamente, na hora da verdade.


O Tenente-Coronel Dave Grossman do Exército norte-americano (Reserva), é um estudioso em segurança reconhecido internacionalmente, autor, soldado e orador, é um dos principais especialistas mundiais nos campos da agressividade humana, origens da violência e sobre os crimes violentos. O Cel Grossman é também professor de Psicologia e Ciência Militar na Academia Militar dos EUA (USMA-West Point), serviu como oficial da infantaria pára-quedista no 75º Regimento Ranger do Exército dos Estados Unidos (importante tropa de elite), estas experiências somadas o levaram a fundar um empreendimento no campo científico, denominado "Killology". Nesta área, o Cel Grossman vem provocando algumas transformações revolucionárias, oferecendo novas contribuições para entendermos como é matar na guerra, os custos da guerra psicológica, as causas do "vírus" atual de violenta criminalidade que se espalha pelo mundo e o processo de cura, tanto na guerra como na paz. É também autor dos livros "On Killing", indicado para o Prêmio Pulitzer e "On Combat". Para conhecer mais sobre o trabalho do Cel Grossman visite seu site "Killology Research Group" (KRG).

Trecho do livro "on Combat" publicado no site "Killology Research Group".

A fantasiosa estratégia – Gen Luiz Gonzaga S. Lessa - http://bootlead.blogspot.com/2009/05/e-o-end-mesmo-tudo-virou-uma-grande.html

Para ver seu comentário publicado, click AQUI http://bootlead.blogspot.com/2009/05/beeeeeee.html

http://bootlead.blogspot.com
"BÉÉÉÉÉÉÉ..."
http://feeds.feedburner.com/Bootleadhttp://bootlead.blogspot.com/feeds/posts/default http://rpc.technorati.com/rpc/ping http://feeds2.feedburner.com/Bootlead http://feeds.feedburner.com/blogspot/Qsrq http://bootlead.blogspot.com/feeds/posts/default?alt=rss

sábado, 2 de maio de 2009

MANIFESTO DE UNOAMÉRICA/CAPÍTULO BRASILEIRO

MANIFESTO À NAÇÃO BRASILEIRA
CONTRA O TOTALITARISMO BOLIVARIANO

O Brasil está diante de uma grande ameaça. A soberania e a segurança nacionais estão sendo séria e gravemente solapadas por uma Revolução totalitária, de molde nazi-fascista, denominada BOLIVARIANA, ainda que em nada represente os ideais de Bolívar. Tal Revolução se expande por toda a América Latina, destruindo a liberdade, a democracia, a propriedade privada, o Estado de Direito e os mais elementares direitos humanos. Ela foi gestada no FORO DE SÃO PAULO e mantém estreitos vínculos com o narcotráfico, o terrorismo e o fundamentalismo islâmico.
Existem numerosas evidências de que este modelo revolucionário em curso já está operando ativamente no Brasil. Por isso, reunidos na Cidade do Rio de Janeiro, aos 27 de abril de 2009, decidimos constituir um capítulo brasileiro da UNIÃO DAS ORGANIZAÇÕES DEMOCRÁTICAS DA AMÉRICA – UNOAMÉRICA, cujo objetivo é a defesa da liberdade e da democracia seriamente agredidas hoje por organizações totalitárias de origens ideológicas as mais diversas e unidas entre si, demonstrando que a barbárie do nazi-fascismo continua unindo esquerda e direita.
Mediante o presente manifesto, fazemos um chamado a todos os segmentos democráticos do Brasil e às instituições nacionais para organizar um grande movimento de unidade nacional que defenda a soberania, as tradições, os princípios e os valores que com tanto sacrifício nos legaram todas as gerações passadas.
Como nossa primeira ação, propomos a realização de um esforço comum para impedir a visita do ditador iraniano Mahmoud Ahmadinejad, que publicamente vem lutando para varrer Israel da face da Terra, negando o Holocausto e pretendendo exportar o anti-semitismo e o terrorismo islâmico para a América Latina, apoiado pelo seu amigo Hugo Chávez.
Finalmente, nos comprometemos a trabalhar pela elaboração de um projeto de desenvolvimento econômico, cultural, científico-tecnológico, social e militar que permita elevar as condições sociais de todos os brasileiros, por considerarmos que a pobreza deva ser erradicada da América Latina, assegurando que todos, através de seu próprio esforço, possam construir uma vida feliz, digna, segura, pacífica e plena de realizações.

ALEJANDRO PEÑA ESCLUSA - Presidente de UNOAMÉRICA
JOÃO RICARDO MODERNO - Presidente da Academia Brasileira de Filosofia
HEITOR DE PAOLA - Presidente do Capítulo Brasileiro de UNOAMÉRICA
MARIA DAS GRAÇAS SALGUEIRO - Vece-Presidente do Capítulo Brasileiro de UNOAMÉRICA