MEMORIAL 31 DE MARÇO DE 1964

MEMORIAL 31 DE MARÇO DE 1964
Avião voa sobre a orla carioca em 31/03/2014, ostentando faixa com os seguintes dizeres: "PARABÉNS MILITARES - 31/MARÇO/64 - GRAÇAS A VOCÊS O BRASIL NÃO É CUBA". Clique na imagem acima para acessar MEMORIAL 31 DE MARÇO DE 1964 - uma seleção de artigos sobre o tema.

segunda-feira, 25 de maio de 2009

O Estado de Direito Petista - em 3 partes

O ESTADO DE “DIREITO” PETISTA

O GOLPE

I

Geraldo Almendra

“O Estado de direito não é apenas uma norma legal, mas sim uma norma que diz respeito àquilo que a lei deve ser: uma doutrina metalegal, ou o ideal político. O primeiro atributo que distingue uma sociedade livre é que cada indivíduo tem uma esfera privada reconhecida, claramente distinta da esfera pública, e que o cidadão privado deve obedecer somente às normas que são igualmente aplicáveis a todos”. (Friedrich Hayek)

Vamos repetir de uma forma alternativa a cronologia do golpe do petismo que irá se configurar em 2010, através dos instrumentos revolucionários fundamentados no leninismo corrupto e prevaricador, para obter o domínio perpétuo do poder público com a Formação de um Estado de “Direito” Corrupto-Petista dominado e subordinado a uma estrutura de poder que mais tarde se transformaria no esteio canalha do movimento petista de domínio da sociedade.

Tudo começa o maior erro dos militares que foi entregar, prematuramente, o poder às oligarquias políticas prostituídas que se camuflavam de arautos da abertura democrática, mas que não passavam de hordas de bandidos disfarçados de terno e gravata.

Começava o maior golpe contra o Estado de Direito Democrático já realizado em um país de uma dimensão geopolítica estratégica perfeita para servir de depositário dos sonhos dos socialistas que deixaram para trás milhões de cidadãos assassinados e nações destruídas pelas burocracias corruptas e bandoleiras que caracterizam os Estados dominados pela corrupção e pelo corporativismo sórdido, essência do poder do socialismo genocida.

Enquanto a esquerda apodrecida já se espalhava estrategicamente nas instituições públicas, nos comuno-sindicatos e nas organizações estudantis, a maior revolução educacional e cultural do país tomava forma: a Universidade Pública da Corrupção e do Corporativismo que formaria as turmas que serviria de suporte – pelos seus sucessos e insucessos - aos desgovernos civis calhordas e ao pior deles, o desgoverno do PT.

Para não haver risco de erro grosseiro no mentiroso projeto de abertura democrática, os desgovernos civis, enquanto praticavam sucessivos atos de lesa-pátria e roubo dos contribuintes, cuidavam para a destruição moral e operacional das Forças Armadas, pois esse sempre foi, e continua sendo seu maior temor de ver inacabado seu projeto de poder perpétuo. Essa gente sórdida deve estar passando noites sem dormir com medo de acordarem e verem um fuzil apontado para suas cabeças.

O que mais nos surpreendeu foi acompanharmos a aliança espúria dos esclarecidos patifes com o projeto de destruição da democracia, enquanto a falência da cultura e da educação, intencionalmente provocada pelos desgovernos civis, dominava mais de 70 % da população formando uma massa de ignorantes que, na qualidade de um imbecil coletivo, mais tarde, iria servir de suporte para o golpe do petismo, enquanto eram descaradamente roubados e feitos de escravos de um Estado assistencialista comprador de votos através de sua estrutura corrupta, prevaricadora e corporativista sórdida.

O paradigma de que toda sociedade tem o governo que merece precisa ser desqualificado, pois a massa dos desfavorecidos, hoje maiores eleitores do mais sórdido dos líderes políticos de nossa história e dos bandidos que tomaram conta do Congresso Nacional, não teve o embasamento educacional para distinguir de forma crítica os resultados de uma traição tão metodicamente estruturada pela sociedade dos esclarecidos patifes, muito mais por motivos criminosos de domínio do poder pelo poder, do que uma luta por uma ideologia política alternativa e com honestidade de propósitos para trazer à sociedade a verdadeira perspectiva de uma democracia de fato.

Nunca os desgovernos civis realmente pensaram em uma alternativa para melhorar o sistema capitalista com o domínio dos seus atos através de uma estrutura legal com a inteligência de tirar o máximo benefício para a sociedade da predominância do mérito e do empreendedorismo em um ambiente dominado pela iniciativa privada.

A preocupação dos patifes esclarecidos da esquerda apodrecida sempre foi fomentar a dualidade entre o socialismo revolucionário – assassino, corrupto e corporativista - e o capitalismo “selvagem” que trouxe ao mundo décadas de desenvolvimento auto sustentado. É fácil reconhecer as descaradas intenções dos canalhas de conseguir domínio do poder público por uma horda de bandidos eleitos pelo imbecil coletivo sob o pretexto de um sistema socialista que iria resolver os problemas do capitalismo “selvagem”, mas gerador de desenvolvimento econômico e social.

Esses calhordas em nenhum momento avaliaram de forma honesta que os defeitos do desenvolvimento capitalista tiveram e tem origem dentro do próprio poder público corrupto e corruptor que não cumpre o seu papel de gestor honesto das relações econômicas e sociais.

O verdadeiro objetivo era transformar a mentira socialista em um corruptocracia para sustentar os sonhos revolucionários de dominar o país com uma ditadura de esquerda para o benefício de uma burguesia corrupta e corporativista, pública e privada.

Os canalhas esclarecidos do pasquim, e de outras comunidades de subornados, estão felizes na hibernação de seu silêncio, com a destruição moral do país, todos curtindo a doce vida, usufruto das sinecuras garantidas pelo petismo ou pelas indenizações milionárias ou pensões vitalícias pagas pelos otários e palhaços dos contribuintes.

Nossa esperança é que o helenismo se transforme em uma realidade de luta contra os canalhas, unindo civis e militares honestos e patriotas, para colocarmos esses bandidos que dominam o poder público mais corrupto e corporativista de nossa história no lugar que merecem: na prisão.

Geraldo Almendra

20/maio/2009

***

O ESTADO DE “DIREITO” PETISTA

O GOLPE

II

O terceiro mandato consecutivo para Luiz Inácio Lula da Silva está na ordem do dia, a última invenção da esperteza latino-americana: a ditadura constitucional. Quem pensou que democracia era à prova de fraudes, tomou bonde errado: já está se perpetuando legalmente no poder Hugo Chávez (Venezuela), Evo Morales (Bolívia) e Rafael Corrêa (Equador). Na fila, o nosso Lula e o sultão paraguaio Fernando Lugo. (JAYME COPSTEIN)

Traduzindo: Estado de Direito Petista = Ditadura Constitucional comandada pelo poder público bandido dominado pelo desgoverno do crime organizado.

O movimento assistencialista-clientelista do petismo recrudesceu de forma incontrolável.

O alcance dos programas sociais compradores de votos e pagos pelos contribuintes, vai atingir qualquer um que se apresente “menos favorecido”, ou seja, até 2010 deve atingir mais de 50 milhões de cidadãos direta ou indiretamente.

Já temos também em andamento no país o maior programa de divisão de uma sociedade em classes de raça, cor e renda, para serem cotistas privilegiados da divisão do bolo de mais de cinco meses de trabalho por ano daqueles que sustentam esse desgoverno espúrio, os palhaços, otários e imbecis dos contribuintes.

Em breve as identidades terão a qualificação racial e o “status” social de cada cidadão. O exercício da cidadania vai passar a depender da qualificação que o Estado carimbar em cada contribuinte, petista ou não petista. Hitler sentiria muita inveja de tanta competência.

Pobres, desempregados, viciados em drogas, moradores de guetos, sem terra, vagabundos, espertalhões, ladrões de galinha, moradores de rua, bandidos arrependidos, etc, todos foram colocados no mesmo saco da canalhice do assistencialismo clientelista comprador de votos. Venda o seu voto e ganhe uma bolsa “qualquer coisa” do governo.

Enquanto isso policiais civis, policiais militares, professores públicos, médicos, entre outras funções sociais de maior importância ganham salários de fome, seguindo o caminho do abandono de suas profissões ou, simplesmente, as exercerem sem qualidade ou interesse, apenas para “marcar o ponto”, achando que está trabalhando demais para ganhar uma miséria de salário. Se for petista ainda vai ter que pagar o dízimo para os canalhas.

Em contrapartida, viva a Polícia Federal, a mais bem paga do país, em troca de aceitar virar Polícia Política do Estado Bandido sob o comando de um comunista, e, também, viva a academia, que vendeu a alma ao diabo em troca de sinecuras e mordomias, se transformando na “brilhante” sociedade ungermangabeira, com direito a comprar lixeiras de R$ 1000,00.

Falta pouco para que o desgoverno do crime organizado comece a distribuir bolsas alimentação para cães e gatos. Dessa forma seus donos se sentirão motivados a vender seus votos, dando mais uma garantia para a eleição de um cúmplice ou do próprio Lula em 2010. Leve uma foto do seu animal de estimação e ganhe um cartão bolsa alimentação do desgoverno dos pobres! Não duvidem, para garantir o projeto de poder perpétuo vender a mãe virou escambo dos canalhas.

O governo do crime organizado não oferece trabalho, remuneração digna, educação e cultura, mas prefere criar a maior massa de dependentes do Estado de nossa história fazendo cada vez mais o contribuinte de imbecil, otário e palhaço do Circo do Retirante Pinóquio.

Motivo desses movimentos e da tragédia moral que domina o país? – Preparação final do golpe de 2010.

A situação do projeto político de poder perpétuo do petismo chega a um impasse com a desqualificação física e eleitoral da candidatura da terrorista Estela para assumir a presidência nas próximas eleições presidenciais. A jogada seria a Estela garantir a manutenção da sujeira debaixo do tapete até a volta do sapo barbudo etílico em 2014, cheio de glória, bafo de cachaça, e dando os vexames de sempre.

O balão de ensaio do Retirante Pinóquio explodiu, pois os esclarecidos, inclusive os patifes, não vão querer bancar essa parada bandoleira. Todos já sabem que o preço mais tarde é ficar em pé diante de uma cova coletiva ou na pontaria de um fuzil revolucionário.

O problema mais grave que tira o sono dos petralhas é que a malha da corrupção e do corporativismo dentro do poder público já tem um movimento autônomo, obrigando uma realimentação de jogos sujos de poder para não permitir que se quebre o silêncio dos arquivos vivos das maracutáias do petismo e do desgoverno anterior, que possam colocar todos no mesmo barco da putrefação moral que assola o país, e alinhados no mesmo paredão da vergonha dentro de uma prisão ou dentro de um quartel.

Vai ser difícil a sociedade engolir mais assassinatos “políticos” - tipo Daniel e os outros sete - e o jeito é negociar a partilha do roubo dos contribuintes satisfazendo as ambições cada vez maiores dos potenciais detonadores do sonho do Estado de “Direito” Petista – Ditadura Constitucional –, entre eles os beneficiados por indenizações milionárias e pensões vitalícias para ficaram com a boca bem fechada e não atrapalhar quem está “trabalhando”.

O líder etílico simplesmente não pode permitir que ninguém das “gangs dos quarentas” ou seus cúmplices, coloquem a boca no trombone e façam desabar o castelo de cartas que abriga milhares de meliantes protetores das fundações espúrias do poder público bandido estruturado petismo. Aos poucos os Tribunais Superiores, na calada da noite, vão formalizando uma inocência para os culpados.

Todos estão pisando em ovos diante do reconhecimento da sociedade do caráter absolutamente marginal do Congresso Nacional e do apodrecimento moral dos poderes da República. Apesar de anestesiados pela covardia apátrida, os esclarecidos, patifes ou não, já entenderam que estamos nas mãos de um desgoverno do crime organizado.

A corrupção e o corporativismo dentro do Poder Judiciário estão no seu limite, pois no momento em que for confirmada a falência da Justiça – mesmo tardiamente -, pela parcela mais esclarecida da sociedade ainda não subornada, civis e militares se unirão para estancar os atos do poder público bandido. Esse é o grande pavor da canalha da corrupção e da prevaricação. Já estão começando a sonhar com um fuzil apontado na sua direção ou em ver o sol nascer quadrado durante muito tempo, se seus exércitos paramilitares dos movimentos sociais não tiverem balas suficientes para conter a revolta dos que se unirem para salvar o país de ser dominado pelo Estado Petista de Direito – a Ditadura Constitucional comandada pelo poder público bandido.

Que tem... no desgoverno do crime organizado, tem medo do medo dos esclarecidos acabar, e da hibernação das casernas abrir suas portas para a luta pelo Estado de Direito Democrático, destruído pelo golpe da “abertura democrática” depositária dos ovos da serpente etílica para que o petismo possa estar conduzindo o país para a desgraça do socialismo genocida.

Geraldo Almendra

21/maio/2009

***

O ESTADO DE “DIREITO” PETISTA

III

JÁ ESTÁ NAS RUAS E NOS CAMPOS: O GOLPE DE UMA DITADURA CONSTITUCIONAL PARA A TOMADA DO PODER PELA CORRUPTOCRACIA DE UMA ESQUERDA TERRORISTA E APODRECIDA.

O movimento de “proteção” à Petrobrás é mais uma clara demonstração de traição ao país pela geração da abertura democrática falsificada pelas oligarquias políticas prostituídas e seus cúmplices, que fizeram do poder público e das empresas estatais, representantes do crime organizado da corrupção, e da prevaricação, tudo bancado pelo descarado roubo dos contribuintes.

A estrutura do poder público bandido, incluindo suas empresas estatais, se transformou em depositário de meliantes exploradores dos cofres públicos. Essa máfia sempre está lutando para evitar perda das prerrogativas de explorar os contribuintes, “direitos” garantidos pelos desgovernos civis com o apoio de um Congresso que já virou um bunker de bandidos, e de um Poder Judiciário que já permite que as folhas da Constituição e dos códigos legais sejam jogados na latrina da degeneração moral da sociedade.

A burguesia que trabalha de forma lícita no mundo da iniciativa privada já está dominada pela burguesia que explora a sociedade de forma ilícita e imoral.

Quem não conhece a colméia - enquanto uns trabalham outros fazem cera -, aquela fantasiada de edifício sede, situada no triângulo das bermudas da corrupção e do corporativismo, onde se suga a moralidade e o patriotismo de quem entra para viver nas suas áreas de influência?

Não estamos falando é claro dos profissionais sérios que trabalham naquela ilha da fantasia da Petrobrás que possui as melhores remunerações e o melhor sistema de aposentadoria do país para os concursados. De qualquer forma o padrão do “cala a boca” destrói qualquer sintoma de moralidade e cidadania.

O capitalismo vem sendo destruído pelo poder público corrupto, corruptor, e corporativista sórdido, intermediário “aceito” pela iniciativa privada como sócio dos seus criminosos desvios de conduta em troca da impunidade e da permissividade da criminalização social e econômica das relações públicas e privadas, tudo em benefício da canalha da comunidade de esclarecidos patifes e apátridas.

Essa criminalização é abafada pelo poder Judiciário mais corrupto de nossa história, naquilo que interessa aos poderes constituídos representantes das oligarquias políticas prostituídas e da nova burguesia do petismo.

O capitalismo está agonizando pelo cerco que sofre da burocracia que fez do poder público e das empresas estatais o sonho das sinecuras mais bem remuneradas do planeta, não pelo mérito, pelo valor das funções sociais, e pelo empreendedorismo, necessariamente, mas pela capacidade de subornar as consciências mais críticas que deveriam lutar contra as sinecuras e uma estrutura de geração de empregos públicos desnecessários e compradores de votos.

É absolutamente conveniente para o desgoverno do crime organizado que se permita que o poder público e as empresas estatais sirvam de depositários de milhares de vagas de trabalho para os militantes da base do petismo formalizando a criminosa partidarização do poder público por um único partido.

O sonho de fazer da Vale uma Petrobrás já tem data marcada para começar: após o golpe de 2010. A parte “jurídica” já está em fase final de preparação.

A Petrobrás sempre foi, mesmo nos governos militares, um centro de poder paralelo que durante os desgovernos civis – corruptos e prevaricadores – foi transformada em um símbolo empresarial viciado por agasalhar dentro de sua estrutura as sinecuras necessárias para subornar uma parcela dos esclarecidos patifes, que sempre ajudaram a transformar a mentira da abertura democrática na semente hedionda de um projeto de uma Ditadura Constitucional para comandar o país.

Em nenhum desgoverno civil ninguém ousou ou teve sucesso em desafiar a burocracia da Petrobrás – nem mesmo a terrorista Estela. A maior empresa do país se notabiliza por ter uma estrutura organizacional que sempre deu a volta por cima quando desafiada, sempre se mantendo como pólo de poder paralelo aos podres poderes da República que se partidarizaram totalmente para servir aos corruptos e corporativistas, e não para cumprir com suas obrigações Constitucionais e sociais.

O crime organizado dentro do poder público não tem mais controle. Apenas troca de chefe e beneficiários.

“Do câncer à Petrobras, nada escapa do apelo eleitoral. E o que se fez foi campanha. Do alto do caminhão de som, sindicalistas gritavam: "Sai, seu tucano, sai, ladrão. Larga a Petrobras, que é patrimônio da nação." Ou ainda: "Sai, José Serra". Quem comandava a festa? O Sindipetro-RJ (Sindicato dos Petroleiros). Um dos diretores da entidade estava no veículo. É a união de partido, sindicato e governo para tomar o lugar da sociedade e das instituições. É assim que eles funcionam. A inacreditável UNE (União Nacional dos Estudantes) também estava lá. Toda essa gente é alimentada com o leite de pata do dinheiro oficial.” (R. A.)

O cerco protetor à Petrobrás se apresenta como mais um cerco aos últimos suspiros de nossos sonhos de vivermos em uma verdadeira democracia marcada pelo mérito e pelo empreendedorismo privado, e não em uma corruptocracia em que podres poderes de uma República e suas empresas estatais se unem para dar suporte à formação de uma Ditadura Constitucional do Petismo no país.

Geraldo Almendra

22/maio/2009