MEMORIAL 31 DE MARÇO DE 1964

MEMORIAL 31 DE MARÇO DE 1964
Avião voa sobre a orla carioca em 31/03/2014, ostentando faixa com os seguintes dizeres: "PARABÉNS MILITARES - 31/MARÇO/64 - GRAÇAS A VOCÊS O BRASIL NÃO É CUBA". Clique na imagem acima para acessar MEMORIAL 31 DE MARÇO DE 1964 - uma seleção de artigos sobre o tema.

sexta-feira, 6 de fevereiro de 2009

Turma de Guantánamo de volta ao terror


Blog do Reinaldo Azevedo

Quinta-feira, Fevereiro 05, 2009


TURMA DE GUANTÁNAMO DE VOLTA AO TERROR

No Estadão. Comento em seguida:

A Arábia Saudita revelou ontem que 11 cidadãos sauditas que passaram pela prisão americana de Guantánamo, em Cuba, integram hoje a lista dos 85 jihadistas mais procurados pelo reino. Os ex-detentos teriam ainda sido submetidos ao programa de reabilitação de terroristas promovido por Riad (mais informações ao lado). Na semana passada, o Pentágono havia admitido que dois ex-detentos da prisão americana hoje fazem parte da célula da Al-Qaeda no Iêmen.

As revelações prometem esquentar ainda mais a discussão sobre o fechamento de Guantánamo, ordenado pelo presidente Barack Obama no dia 21, um dia após assumir a Casa Branca. Segundo o decreto presidencial, a prisão será fechada dentro de um ano, mas até agora Obama não esclareceu o que será feito com os 248 suspeitos de terrorismo que ainda estão detidos. Europeus e os países de origem dos prisioneiros relutam em receber em seu território os atuais encarcerados. Ao todo, 117 sauditas presos em Guantánamo foram repatriados, mas ainda restam 16 na prisão americana.

No entanto, o ministro do Interior da Arábia Saudita, general Mansour al-Turki, atenuou a cifra revelada ontem: "Fora essas 11 pessoas (que constam na lista dos mais procurados), há outros 106 que passaram por Guantánamo e pelos centros de reabilitação e hoje estão indo bem."

Por causa das garantias dadas pelo governo saudita, os EUA concordaram em repatriar a maior parte dos detentos nascidos no reino. Mas um relatório do Pentágono que veio a público no dia 13 revelou que o número de ex-prisioneiros sauditas que voltaram a integrar grupos terroristas pode chegar a 61 - portanto, mais da metade dos 117.

O fechamento de Guantánamo tem amplo apoio da opinião pública americana. Mas analistas destacam que o aumento de atentados perpetrados por ex-detentos pode mudar a percepção favorável.
Assinante lê mais aqui

Comento

Diga aí, leitor amigo: você acredita mais no relatório do Pentágono ou no relatório do governo da Arábia Saudita? Obama deu outro dia aula para crianças e defendeu o fechamento da Guantánamo. Sem qualquer oposição. Elas concordaram. Comportaram-se como a imprensa durante a campanha. Modestamente, este bloguinho lembrou que os tais prisioneiros, se levados para a América, teriam de ser soltos — como serão se forem abrigados por países europeus. “Ah, matou? Jogou bomba? Explodiu pessoas? Pois agora vai ter de morar em Paris, com casa, comida, roupa lavada e DVD da Carla Bruni...” Ou será que Sarkozy não quer? Ou ainda: “Vai ter de ficar comendo pastel de Santa Clara em Lisboa, seu meliante”. Ou: “Vai esquiar nos Alpes suíços”. Também se observou aqui que muitos deles, se devolvidos para seus países de origem, iriam conhecer, de fato, o mármore do inferno, com rigores que o Profeta não chegou a imaginar.

Pois é... Mais da metade dos sauditas libertados voltaram para o terror. Imaginem a Europa recebendo uns 200 deles, com essa taxa de sucesso na recuperação... Em matéria de network terrorista, Obama será pinto perto de Osama.

http://veja.abril.com.br/blogs/reinaldo/