MEMORIAL 31 DE MARÇO DE 1964

MEMORIAL 31 DE MARÇO DE 1964
Avião voa sobre a orla carioca em 31/03/2014, ostentando faixa com os seguintes dizeres: "PARABÉNS MILITARES - 31/MARÇO/64 - GRAÇAS A VOCÊS O BRASIL NÃO É CUBA". Clique na imagem acima para acessar MEMORIAL 31 DE MARÇO DE 1964 - uma seleção de artigos sobre o tema.

sexta-feira, 6 de fevereiro de 2009

Popularidade inabalável de Lula


06/02/2009 13:33

Popularidade inabalável de Lula

Sete anos de carisma. Muito carisma. Desde a “Carta aos brasileiros” e o Lulinha “Paz e Amor”, vem colecionando admiradores. Muita firula, muito passeio, muito discurso, muita esmola. Muito jogo de cena, mas, há que se reconhecer, soube cativar a classe média, o povão, os grotões, os banqueiros, a FIESP, todo mundo. Lula é isto: um “relações públicas” de primeira. O mais vitorioso que já se teve “nesse país” (sic). “84%” de avaliação positiva”. Acredita honestamente que está presidindo o País. Acredita. Mas... cá entre nós, não preside. Definitivamente, coitado, não preside nada. Pois, vivemos num sistema presidencialista.

Etimologicamente, “Presidente” vem de duas palavrinhas latinas: “prae”, que quer dizer algo como “à frente”, pioneiro, vanguarda; e “sedens”, sentado. Fácil, não? Traduzindo: é “aquele que está sentado à frente” das decisões. Aquele que decide (ou que deveria), aquele que manda, que governa. E o apenas simpático Lula sabe – mas parece que nem todos nós sabemos (84%, no mínimo)-, que não está à frente de absolutamente nada. O homem não passa de uma cinderela, uma rainha da Inglaterra, uma lady Di. Já repararam? Tem uma agenda política que não difere muito de damas da sociedade que, se sentido culpadas, fazem filantropia, altruísmo, para ficarem bem na foto. É isso. Mas....quem está, então, à frente do governo da República Federativa do Brasil? Resposta: quem determina a taxa de câmbio ou não, quem estabelece o nível do juro, quem preserva ou não a moeda, quem direciona ou não a produção, quem dá ou não garantia ao dinheiro, ou seja, a plutocracia financeira internacional, encastelada no “nosso’ Banco Central. Lula, neste cenário, não é nada. Não sabe, não viu, não quer saber. Por isso tem altos índices de popularidade, pois não se expõe, não se queima, não tem que tomar atitudes substanciais para a economia, não tem que decidir, não tem, portanto, que governar. Deixa esta coisa chata pro empregado do Banco de Boston...

Said Barbosa Dib
Brasília (DF)

Fonte: http://www.claudiohumberto.com.br/principal/index.php