MEMORIAL 31 DE MARÇO DE 1964

MEMORIAL 31 DE MARÇO DE 1964
Avião voa sobre a orla carioca em 31/03/2014, ostentando faixa com os seguintes dizeres: "PARABÉNS MILITARES - 31/MARÇO/64 - GRAÇAS A VOCÊS O BRASIL NÃO É CUBA". Clique na imagem acima para acessar MEMORIAL 31 DE MARÇO DE 1964 - uma seleção de artigos sobre o tema.

terça-feira, 17 de fevereiro de 2009

Nosso chanceler das mandiocas


Nosso Chanceler das mandiocas

Postado por movimento da ordem vigilia contra corrupção às 2/15/2009 01:56:00 PM

NOSSA “DIPROMACIA” TUPINIQUIM

Dois incidentes diplomáticos potentes e quase que ao mesmo tempo. Primeiro com a Itália, porque o desgoverno Lula nega-se a devolver o criminoso Battisti. Agora, com a Suíça, pois Lula – que nunca sabe de nada – saiu berrando e acusando aquele país de xenofobia, e convocando o embaixador de Genebra, por causa da brasileira que alegou ter sido atacada por neonazistas.

Leia mais em http://movimentoordemvigilia.blogspot.com/2009/02/nosso-chanceler-das-mandiocas.html


***

ESTE É O SHOW DA VIDA MEDÍOCRE À QUAL NOS SUBMETEMOS

Para inicio de conversa, imprensa nenhuma JAMAIS poderia pautar a diplomacia, muito menos o COMANDANTE EM CHEFE DA CASA, Celso Amorim - coringa do Lula para todos os assuntos, mas sempre com o MAG top-top a sua cola. Diplomata que se preze, antes de se manifestar, analisa todas as possibilidades antes e se manifestar. Quem dirá um presidente....mas deixa pra lá!

E pra variar, no Brasil dos brasileiros, tudo passa, até porque amanhã teremos pelo menos mais 3 grandes escândalos ou injustiças. A estratégia dá certo, basta variar os assuntos e pronto, lá vai toda uma Nação embarcando no que a mídia decidiu promover para aquele dia. Ficaremos injuriados, altamente revoltados e dependendo dos nossos batimentos cardíacos, hoje medidos por "pesquisas que nunca nos pesquisam", definem a sua duração, nunca esquecendo de mesclar com outros escândalos, é claro.

E todos continuam impunes, já que leis no Brasil existem apenas no papel. A ai daquele que reclamar, pois será jogado à fogueira da oposição, como se existisse uma oposição. O que temos de verdade é um grande teatro, onde chamam as negociatas do baixo clero de democracia. O mundo mudou, vivemos é numa prostituição generalizada à qual deram o nome de democracia.

Não soa estranho o comportamento de Lula da Silva em reagir imediatamente às declarações desta advogada que se disse atacada na Suíça.
Se o mesmo caso ocorresse na Venezuela, nosso presidente demoraria pelo menos duas semanas para se manifestar, como já o fez tantas vezes.

Os danos diplomáticos do Brasil com relação à Suiça são quase que irreversíveis, assim como com a Itália, no caso do terrorista protegido pela "causa", a mesma daqueles que detém hoje o poder no Brasil. Os "companhero" ficam todos alvoroçados quando um irmão corre o risco de ser preso pelos assassinatos que cometeu. E agora ainda temos o agravante da declaração do Itamaraty, se dispondo a DAR FUGA à brasileira que, até aqui ninguém sabe se é foi vitima de terceiros ou de sua própria criatividade. E e tudo isso foi inventado, certamente ela terá de responder ao país que ofendeu. Como pode a Casa da Diplomacia oferecer umm fuga desta forma?

E com toda a razão, países europeus nos devolvem brasileiros, muitos que tentam fugir daqui. Aliás, estamos adotando há alguns anos o mesmo comportamento dos cubanos, que saem da ilha acreditando no fio que os une à vida - chegar com vida ao continente livre e próspero.
Não concordo com a detenção de atletas em trânsito por exemplo, mas os maus definem o destino dos bons, infelizmente. E precisamos assumir de uma vez por todas esta realidade. Eu mesma já passei, em várias oportunidades, por constrangimentos diante do comportamento de irmãos brasileiros no exterior. Vergonha pura foi o que senti!

E falando em vergonha, volto aos nossos meios de comunicação. Tudo isso é patético, jornalistas despreparados e um Itamaraty totalmente sem um norte! E do presidente então, nem dá pra comentar. Além do FIM, existirá um FIM maior?

Ana Prudente, de São Paulo
16/02/09

***
A BARRIGA DA GLOBO QUASE COMPROMETE O BRASIL

Berna (Suíça) - A moça brasileira tinha seus problemas e provavelmente se autoflagelou. É triste.
Mais triste é o quadro da nossa imprensa irresponsável que mobilizou o país, levou o ministro das relações exteriores Celso Amorim a criticar um país amigo e Lula a quase criar um caso diplomático. É hora de denunciar a nossa grande imprensa sem deontologia, sem investigação, que afirma e desafirma sem qualquer cuidado e sem checar as notícias.

A agressão racista contra Paula Oliveira não foi um noticiario iniciado em Zurique, local da suposta agressão. Estourou no Brasil, detonada por um pai – e isso é muito compreensível – preocupado com sua filha distante. E a maior rede de televisão do Brasil, a Globo, vista por mais de uma centena de milhões de brasileiros, não teve dúvidas em transformar o caso na grande manchete do dia, fazendo com que outros milhões de brasileiros, no Exterior, já acuados pela Diretiva do Retorno, se solidarizassem e imaginassem passeatas e manifestações.

Essa é a maior barriga da história do nosso jornalismo, que revela o descalabro a que chegamos em termos de informação ou desinformação. Equivale ao conto do vigário do Madoff, ou das subprimes do mercado imobiliário americano. Só que o Madoff está preso, mesmo sendo prisão domiciliar e vivemos uma crise econômica, em consequência dos desmandos dos bancos americanos. Mas o que vai acontecer com a televisão Globo e todos quantos foram atrás ? Nada, vai ficar por isso mesmo.

Como um órgão de imprensa de tanta penetração pode se permitir divulgar com estardalhaço um noticiário de muitos minutos, reproduzido online, repicado por jornais, rádios e copiado por outras televisões sem primeiro checar no local ? Que jornalismo é esse que se faz sem qualquer investigação, sem se ouvir as partes envolvidas ? Sem deslocar antes um reporter para Zurique e entrevistar também o policial responsável pela ocorrência ? Sem ouvir a própria envolvida, fiando-se apenas no relato de um pai desesperado ? Sem pedir a opinião de um especialista em ferimentos e escoriações ?

Quem vai pagar o dano moral causado a essa jovem, que sem querer se tornou primeira página nos jornais ? Quem vai desfazer o ridículo a que se submeteu o nosso ministro Celso Amorim, que, baseado num noticiário de foca em jornalismo, sem ouvir acusação e acusado, ofendeu um país amigo exigindo que prestasse contas em Brasília por um noticiário tipo cheque sem fundo ? Quem assume o fato de quase levar nosso presidente a ficar vermelho de vergonha por se basear em noticiário sem crédito, com o mesmo valor de uma ação do banco Lehmann ?

E mais – o dano sofrido pela Suíça, em termos de imagem, justamente quando seu povo tinha justamente votado em favor dos imigrantes , quem vai reparar ?

Essa barriga da Globo, secundada pela grande imprensa, é prova do que se vem dizendo há algum tempo – não há credibilidade nessa mídia. Publica-se, transmite-se qualquer coisa, e quanto mais sensacionalista melhor. Não há responsabilidde no caso de erros, de noticiário mentiroso, vale tudo, o papel aceita tudo, a televisão transmite qualquer coisa, desde que dê Ibope – e existe melhor coisa que nacionalismo ofendido ? É o que os franceses chamam de "presse de boulevard", mentirosa, tendenciosa, com a opinião ao sabor das publicidades. Sem jornalismo investigadivo, sem confirmar as fontes, sem ouvir as opiniões divergentes.

Vão pedir a cabeça do redador-chefe ? Não, assim que se recuperarem da barriga, da irresponsabilidade cometida, da vergonha diante dos colegas, vão jogar tudo em cima da pobre jovem, que deve ter seus problemas e que a nós não compete saber, isso é vida privada, não é Big Brother.

É essa mesma imprensa marrom, que induz nossos dirigentes ao erro, que também publica qualquer coisa contra o que chamam de “assassino desalmado” Cesare Battisti. A irresponsabilidade da imprensa é o pior inimigo da liberdade de imprensa, porque pode provocar reações legislativas limitando os descalabros cometidos.

Escrever num jornal, falar numa rádio ou numa televisão e mesmo manter um blog constitui uma responsbilidade social. Não se pode valer dessa posição para se difundir boatos, nem inverdades, nem ouvir-dizer, é preciso ir checar, levantar o fato, mencionar ou desfazer as dúvidas e suspeitas existentes. É também preciso se garantir o direito de ser mencionada a versão da parte acusada para evitar a notícia tendenciosa.

A barriga da Globo vai ficar na história do nosso jornalismo, será sempre lembrada nos cursos de comunicação, tornou-se antológica, e nela estão entalhadas, por autoflagelação, as palvras que a norteiam – sensacionalismo, irresponsabilidade e abuso do seu poder.

Existem, sim, problemas contra nossos emigrantes em diveros países. Diariamente brasileiros são presos e mandados de volta, na Espanha, mas isso não mobiliza a nossa imprensa, não dá Ibope.

fonte: http://www.diretodaredacao.com