MEMORIAL 31 DE MARÇO DE 1964

MEMORIAL 31 DE MARÇO DE 1964
Avião voa sobre a orla carioca em 31/03/2014, ostentando faixa com os seguintes dizeres: "PARABÉNS MILITARES - 31/MARÇO/64 - GRAÇAS A VOCÊS O BRASIL NÃO É CUBA". Clique na imagem acima para acessar MEMORIAL 31 DE MARÇO DE 1964 - uma seleção de artigos sobre o tema.

domingo, 15 de fevereiro de 2009

Chávez vence Referendo


Domingo, 15 de Fevereiro de 2009

A vitória da fraude

Há algo de podre no reino da Dinamarca... A votação na Venezuela ocorreu num clima de aparente paz. Não tive notícia, tampouco vi na TV qualquer notícia de agressão ou violência, coisas tão corriqueiras no dia-a-dia venezuelano e de modo especial em eleições. Vi pela CNN de Espanhol o momento em que o ditador Chávez foi votar. Bem diferente daquele Chávez e 2 de dezembro de 2007, onde esbanjava segurança da vitória, o Chávez de hoje parecia mais comedido, conversou com pessoas, apertou mãos, distribuiu abraços mas não fez nenhum espalhafato como em 2007; nenhum pronunciamento, não mostrou que depositava o voto na urna. Estaria ele sob efeito de medicamentos ministrados por seu psiquiatra ou preferiu não cantar vitória antes do tempo para não passar por um vexame monumental como da vez anterior? Veremos, ainda hoje, espero.

Houve muitas irregularidades como, por exemplo em Sidney, Austrália, onde as pessoas que haviam votado da vez anterior, desta vez não puderam votar porque seus nomes não constavam das listas. Também na Espanha houve queixas de que não deixavam as pessoas entrarem na embaixada para votar, pessoas que eram declaradamente opositoras.

Da Venezuela recebo denúncias de que na Escola Comércio, em Punto Fijo, havia uma chavista com camisa e boné vermelhos e publicidade do “Sí”, dentro do centro de votação e levando e trazendo pessoas em seu carro para votar. Essas coisas foram expressamente proibidas pelo CNE mas dona Tibisay não viu. Também não viu dona Tibisay, nem seus micos amestrados, que em frente ao INTT havia gente com cornetas tocando desde às 6:30 da manhã; colocavam a todo volume o gingle da campanha chavista e nada disso foi reprimido.

Eu sabia que alguma coisa de podre malcheirava o ar e agora encontrei o motivo: acabo de ouvir o pronunciamento oficial do CNE, através de sua presidenta Tibisay Lucena que dá a vitória do “SIM”. Segundo os dados oficiais, o resultado é o seguinte:

SIM – 54.36%
NÃO – 45,63%
Total de urnas apuradas: 93,20%


Conforme eu havia divulgado nessa madrugada, o resultado era o inverso. Agora, dá sacada do Palácio de Miraflores, Chávez festeja cantando o hino da Venezuela. E em cadei nacional, inicia um daqueles enfadonhos, mentirosos e intermináveis discursos, lembrando que é fevereiro o mês da vitória, certamente fazendo referência ao falido golpe de 1992. Seua macacos gritam histéricos "Uh, ah, Chávez não se vá" e "Vitória popular!". Ele sabia deste resultado; sabia desde sempre mas Deus é Pai e consente, mas não para sempre.

O que fará a oposição agora? Vai calar diante de mais esta fraude? A aceitação forçada de Chávez à derrota em 2007, levava-nos a crer que ele ainda não estava rendido. A resposta veio hoje. Nada mais há a dizer, a não ser silenciar, aguardar e rezar por aquele pobre povo escravizado.

Fiquem com Deus e até a próxima.

Comentários: G. Salgueiro

posted by G. Salgueiro at 11:14 PM

Fonte: http://notalatina.blogspot.com/2009/02/vitoria-da-fraude.html