MEMORIAL 31 DE MARÇO DE 1964

MEMORIAL 31 DE MARÇO DE 1964
Avião voa sobre a orla carioca em 31/03/2014, ostentando faixa com os seguintes dizeres: "PARABÉNS MILITARES - 31/MARÇO/64 - GRAÇAS A VOCÊS O BRASIL NÃO É CUBA". Clique na imagem acima para acessar MEMORIAL 31 DE MARÇO DE 1964 - uma seleção de artigos sobre o tema.

quarta-feira, 18 de fevereiro de 2009

Carta dos Arrozeiros de Roraima


Associação dos Arrozeiros de Roraima

Rua DI C, lote 11, q 3 - Bairro Gov. Aquilino Motta Duarte, Boa Vista - Roraima

CEP 69.309-690 - Fone: (95) 3626-7106 - Fax: (95) 3626-7108

Viemos a público para, como seres humanos, brasileiros, trabalhadores e produtores de
Roraima, esclarecer e exigir basicamente idéias e atitudes baseadas no trinômio:

DEMOCRACIA - LIBERDADE - NACIONALISMO

DEMOCRACIA - Para, como população, sermos agentes e participantes da política implementada para o Estado de Roraima. Não podemos mais ser vítimas de decisões tomadas em reuniões fechadas por autoridades que substituem as demandas populares por uma agenda étnica ambiental, que a pretexto de salvar o mundo, nada mais são que ponta de lança de um neocolonialismo que as nações imperialistas impõem ao nosso país.

LIBERDADE - Para cumprirmos a missão gloriosa e necessária de, aqui, no extremo norte Brasileiro desenvolvermos a nossa região produzindo riquezas para o bem estar de nosso povo e contribuindo com o desenvolvimento nacional garantindo a territorialidade e soberania do Brasil nessa estratégica região. Liberdade para utilizar o potencial e recursos naturais de Roraima nessa heróica tarefa.

NACIONALISMO - Para termos um projeto de desenvolvimento, centrado basicamente no interesse do povo e do país, queremos de volta nosso sonho maior de transformar Roraima em um estado rico e soberano, orgulho da federação brasileira, onde todo brasileiro possa viver dignamente e cultivar seu sentimento de amor à pátria.

GARGALOS

QUESTÃO FUNDIÁRIA - Nossos estudos, do governo de Roraima e agora da Embrapa - monitoramento por satélite, confirmam que sobram apenas 6% da área geográfica do Estado para atividade econômica. Como é possível atender as demandas crescentes da nossa população e desenvolver com 94% do estado engessado?

QUESTÃO SOCIAL - Fim da política de apartheid imposta a nossa população, fim da indústria do conflito social. As injustiças sociais e econômicas têm que serem combatidas, mas preservando a união da nossa população.

QUESTÃO POLÍTICA - Temos que reaver a capacidade de autogoverno. Hoje o governo democraticamente eleito do Estado de Roraima se tornou um governo de pequenas causas, as decisões fundamentais são tomadas por interesses internacionais, representados pelas ONGs e órgãos do governo federal como FUNAI, IBAMA, INCRA que juntos submetem Roraima a uma intervenção feroz.

Reafirmamos nosso compromisso e decisão de lutar contra a inviabilização do Estado de Roraima e o caos que se avizinha. Só com trabalho, honestidade, eficiência poderemos produzir e vencer a crise.

RORAIMA QUEM AMA DEFENDE