MEMORIAL 31 DE MARÇO DE 1964

MEMORIAL 31 DE MARÇO DE 1964
Avião voa sobre a orla carioca em 31/03/2014, ostentando faixa com os seguintes dizeres: "PARABÉNS MILITARES - 31/MARÇO/64 - GRAÇAS A VOCÊS O BRASIL NÃO É CUBA". Clique na imagem acima para acessar MEMORIAL 31 DE MARÇO DE 1964 - uma seleção de artigos sobre o tema.

segunda-feira, 12 de janeiro de 2009

Sobre realezas: A britânica e a de Banânia

domingo, 11 de janeiro de 2009 20:32:00

Príncipe Harry causa polêmica por comentários racistas

Príncipe Harry e sua atuação no exército britânico em 2007 ainda causam polêmica. A última da vez foi um vídeo publicado pela revista News of the World, no qual ele faz comentários supostamente racistas.

Nas imagens, Harry chama um companheiro de sua unidade militar de "nosso pequeno amigo paqui", uma forma pejorativa de se referir a um paquistanês, e outro de "cabeça de trapo", um termo ofensivo para o povo árabe.

Além disso, aparece fazendo gozações sobre a rainha Elizabeth, sua avó. Ele simula que está em uma ligação com ela e diz: "Eu tenho que ir, tchau. Deus lhe acompanhe".

A realeza já se manifestou enviando um pedido de desculpas pelo comportamento de Harry. Eles garantem que o príncipe usou o termo "paqui" sem maldade, como um apelido para um membro muito popular do batalhão e que, na verdade, queria apenas brincar com o amigo.

"O príncipe Harry compreende perfeitamente o quão insultante pode ser este termo, e sinto muito se machucou alguém", disse a nota do palácio.

Um porta-voz da família real explicou ainda que o príncipe Harry utilizou o termo "cabeça de trapo" para se referir a um talibã ou um soldado iraquiano.

Fonte: http://entretenimento.br.msn.com/famosidades/noticias-artigo.aspx?cp-documentid=16745095

Obs.: Pois é: a realeza britânica pediu desculpas pela molecagem de Harry. Enquanto isso, o PT, em nota racista, acusou os israelenses de "nazistas", por defenderem seu território contra os ataques de foguetes do Hamas. E a realeza de Banânia (Lula) não pede desculpas a Israel pela nota antissemita do petralhas. Tacitamente, apoia a infâmia (F. Maier).