MEMORIAL 31 DE MARÇO DE 1964

MEMORIAL 31 DE MARÇO DE 1964
Avião voa sobre a orla carioca em 31/03/2014, ostentando faixa com os seguintes dizeres: "PARABÉNS MILITARES - 31/MARÇO/64 - GRAÇAS A VOCÊS O BRASIL NÃO É CUBA". Clique na imagem acima para acessar MEMORIAL 31 DE MARÇO DE 1964 - uma seleção de artigos sobre o tema.

quarta-feira, 7 de janeiro de 2009

Para o presidente ler e meditar

Helio Fernandes

Há 20 anos, Mendonça de Barros e Naji Nahas explodiam a Bolsa do Rio

2009 começa na incerteza, o impacto e os colossais prejuízos provocados pelos manipuladores do mercado financeiro e pelas falcatruas das hipotecas imobiliárias concedidas a quem não tinha a menor condição de pagá-las. Mas pela tradição do mercado, a cada contrato, havia bonificação colossal.

Assim, ninguém queria saber se o cliente podia ou não podia pagar, o importante era o “prêmio”, irresponsável mas recebido imediatamente. A comparação com 1929 é descuidada e incompetente, a semelhança mesmo é a situação de Roosevelt, assumindo em 1933 e Obama, agora no dia 20. Só que Obama não tem nenhum New Deal salvador.

Gostaríamos que tivesse. Mas como agora se completam 20 anos que Naji Nahas e Mendonça de Barros destruíram a Bolsa do Rio, ganhando fortunas e provocando enormes prejuízos e falências, mostremos: AS BOLSAS CONTINUAM VULNERÁVEIS. 20 anos não é um apelo muito grande à memória, já que fui o único a denunciar tudo, a mostrar quem eram esses aventureiros, Nahas e Mendonça de Barros.

Leia texto completo em http://www.tribunadaimprensa.com.br/coluna.asp?coluna=helio