MEMORIAL 31 DE MARÇO DE 1964

MEMORIAL 31 DE MARÇO DE 1964
Avião voa sobre a orla carioca em 31/03/2014, ostentando faixa com os seguintes dizeres: "PARABÉNS MILITARES - 31/MARÇO/64 - GRAÇAS A VOCÊS O BRASIL NÃO É CUBA". Clique na imagem acima para acessar MEMORIAL 31 DE MARÇO DE 1964 - uma seleção de artigos sobre o tema.

quarta-feira, 28 de janeiro de 2009

Obama, o abortista miserável, financia matança de bebês


Igreja critica Obama por aprovar financiamento federal do aborto

Os bispos dos Estados Unidos e o Vaticano mostram seu desacordo

Por Karna Swanson

WASHINGTON, terça-feira, 27 de janeiro de 2009 (ZENIT.org).- O cardeal Justin Rigali, arcebispo da Filadélfia, qualificou de «muito decepcionante» a decisão do novo presidente americano, Barack Obama, de revogar a proibição de destinar fundos federais a organizações que promovem o aborto em países em vias de desenvolvimento.

A decisão de revogar a conhecida como «Política Cidade do México», que o ex-presidente George Bush pôs em andamento há oito anos, foi divulgada no terceiro dia de mandato do novo presidente.

O cardeal Rigali, que é também presidente do Comitê de Atividades Pró-vida da Conferência Episcopal dos Estados Unidos, afirmou que «uma administração que quer reduzir o aborto não deveria destinar fundos federais a grupos que promovem o aborto».

Estas declarações se referem à reiterada afirmação de Obama em campanha eleitoral, de que ele não é «partidário do aborto, mas de reduzir o número de abortos sem tornar este procedimento ilegal».

O cardeal Francis George, arcebispo de Chicago e presidente da Conferência Episcopal, havia escrito a Obama antes da inauguração de seu mandato, pedindo-lhe que mantivesse a política de seu antecessor.

«A Política Cidade do México, estabelecida pela primeira vez em 1984, foi atacada erroneamente como uma restrição à ajuda ao exterior para o planejamento familiar. De fato, essa ajuda não se reduziu em absoluto, mas assegurou que as fundações de planejamento familiar não se desviassem a organizações que se dedicam a promover o aborto ao invés de combatê-lo.»

«Uma vez que a clara linha que separava o planejamento familiar e o aborto se apagou – acrescentava o cardeal –, a idéia de usar o planejamento familiar para reduzir o aborto não tem sentido, e o aborto substituirá a contracepção com o fim de reduzir o tamanho da família.»

«O pior»

As críticas do Vaticano chegaram no sábado passado, quando o arcebispo Rino Fisichella, presidente da Academia Pontifícia para a Vida, afirmou ao jornal italiano «Il Corriere della Sera», que «entre as muitas coisas boas que poderia ter feito, Barack Obama escolheu a pior».

«Se este é um dos primeiros atos do presidente Obama, com todo respeito, parece-me que o caminho para a decepção foi muito curto», acrescentou o arcebispo.

Por sua parte, o arcebispo Elio Sgreccia, antigo presidente da Academia Pontifícia para a Vida, afirmou à agência italiana ANSA que «é um duro golpe, não só para nós, católicos, mas para todo o povo no mundo que luta contra a matança de inocentes que o aborto provoca».

Obama acolheu um pedido da Igreja de assinar uma ordem executiva para proibir a tortura.

A respeito disso, o bispo de Albany, Dom Howard Hubbard, presidente do Comitê «Justiça e Paz» da Conferência Episcopal, disse que os bispos «agradeceram a ordem», e que esta «diz muito de nós, quem somos, o que pensamos sobre a vida e a dignidade humana, e como atuamos enquanto nação».

ZENIT.org


***

II Encontro da Frente Mundial de Parlamentares e Governantes pela Vida

Em Madri, de 26 a 27 de março

MADRI, terça-feira, 27 de janeiro de 2009 (ZENIT.org).- A Frente Mundial de Parlamentares e Governantes pela Vida, presidida pela senadora argentina Liliana Negre de Alonso, realizará seu II Encontro Internacional em Madri (Espanha), nos dias 26 e 27 de março de 2009.

Em novembro de 2007, nasceu em Santiago do Chile um movimento de legisladores e governantes de vários países que se comprometem, no âmbito de suas responsabilidades, a trabalhar em defesa da vida humana e da família.

A Frente Mundial celebrou seu primeiro encontro naquela cidade, com a participação de parlamentares de 18 países. Nessa ocasião, aprovou-se um manifesto e se acordou também a celebração deste segundo encontro.

O grupo espanhol ficou encarregado de organizar a reunião e para isso contam com a colaboração da Universidade San Pablo – CEU, onde acontecerão as jornadas previstas.

Os responsáveis informam que esta segunda reunião deve propor dois objetivos fundamentais: «a consolidação do movimento e sua ampliação, especialmente no âmbito europeu».

Em uma carta assinada pela senadora argentina e pelo vice-presidente desta entidade, o deputado espanhol Ángel Pintado, afirmam que «é de vital importância a presença de parlamentares do maior número possível de países» e que na reunião se espera «um útil intercâmbio das experiências e das iniciativas que se estão desenvolvendo em cada um de nossos países no âmbito da proteção da vida humana e da família, assim como a elaboração de propostas de ação coordenadas neste campo».

Também se propõem a «elaborar um documento dirigido à opinião pública, que reafirme os princípios do Manifesto do Chile e introduza alguns aspectos complementares».

Mais informação: presidencia@parlamentariosygobernantesporlavida.org.