MEMORIAL 31 DE MARÇO DE 1964

MEMORIAL 31 DE MARÇO DE 1964
Avião voa sobre a orla carioca em 31/03/2014, ostentando faixa com os seguintes dizeres: "PARABÉNS MILITARES - 31/MARÇO/64 - GRAÇAS A VOCÊS O BRASIL NÃO É CUBA". Clique na imagem acima para acessar MEMORIAL 31 DE MARÇO DE 1964 - uma seleção de artigos sobre o tema.

quinta-feira, 8 de janeiro de 2009

Autossuficiência do petróleo no Brasil durou apenas dois anos


Autossuficiência do petróleo no Brasil durou apenas dois anos

Dados da Secex mostram que País voltou a ter déficit externo com petróleo e derivados

Nicola Pamplona, RIO

Celebrada há apenas dois anos pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva, a autossuficiência na produção nacional de petróleo não resistiu ao aumento da demanda por combustíveis em 2008. De acordo com dados da Secretaria de Comércio Exterior (Secex), compilados pela Agência Nacional do Petróleo (ANP), de janeiro a novembro, o País importou mais petróleo e derivados do que exportou.

O Ministério de Minas e Energia (MME) admite que o déficit permanecerá quando os números finais de 2008 forem fechados. Até novembro, indica a ANP, o Brasil importou 243,5 milhões de barris de petróleo e derivados, contra exportações de 221,9 milhões de barris. Na média, o saldo negativo é de 65 mil barris por dia, volume próximo do ganho médio acumulado em dois anos de autossuficiência: 73,2 mil barris por dia.

Em nota enviada ao Estado, o ministério diz que o mau desempenho é fruto do "aumento inesperado" da demanda e que será revertido em 2009, com a entrada em produção de novas plataformas. Já a Petrobrás discorda dos números da ANP e diz que, pelas suas contas, o Brasil continua exportando mais do que importando. A estatal diz que, até novembro, tinha um superávit médio de 54 mil barris por dia.

Leia texto completo em http://www.estadao.com.br/estadaodehoje/20090108/not_imp304071,0.php

Obs.: Na verdade, o Brasil nunca chegou a ser autossuficiente em petróleo, pois sempre comprou o produto no exterior - antes, durante e após a cara propaganda lulista. O óleo vinha (vem ainda?) de um país do Norte da África, não me lembro se da Líbia. Foi o que eu ouvi na TV, na época, numa entrevista do presidente da estatal. O mesmo expediente - a desinformação - foi utilizado por Lula para fazer propaganda do pré-sal, lambuzando as costas da "madrasta do dossiê", Dilma "Estela" Rousseff, dando a entender que aquele óleo já era amostra do pré-sal - o que é uma mentira (F. Maier).